Qual o impacto do julgamento do STF sobre a decisão de ACM Neto?

Que influência terá o julgamento de ontem do Supremo Tribunal Federal (STF) que rejeitou o habeas corpus que poderia impedir a prisão do ex-presidente Lula depois da condenação em segunda instância na decisão do prefeito ACM Neto (DEM) de concorrer ao governo do Estado?

Quem conversou com o democrata em seguida à sessão em que o STF começou a apreciação do pedido da defesa de Lula, no mês passado, ouviu diretamente dele, na época, a convicção de que a ministra Rosa Weber votaria contra a regalia, levando à decisão pela prisão do ex-presidente, firmada ontem.

Então, Neto avaliava acertadamente que, apesar da convicção pessoal da ministra em favor do habeas corpus, ela votaria conforme o pensamento majoritário expresso pela Corte, em 2016, como se confirmou ontem. Ocorre que políticos, da oposição e do governo, não vêem como o prefeito não possa avaliar o impacto do resultado do STF sobre sua decisão de agora.

Analisam, por exemplo, que não há como a ausência de Lula da disputa não repercutir negativamente na campanha do governador Rui Costa (PT), levando em conta a tradição na Bahia de os candidatos majoritários estaduais serem puxados pelos presidenciáveis que apóiam. E de isso não ser extremamente positivo para a eventual candidatura do prefeito.“Na Bahia, as campanhas do PT foram vitoriosas quando Lula era candidato a presidente. Agora, sua figura deixa de existir. Se Neto tinha todas as condições para concorrer com chances de vitória antes do julgamento de ontem, agora elas se ampliaram”, diz um vereador da base do prefeito, animado com a perspectiva de ele se animar a disputar o governo.

Para um deputado aliado de Neto, o ideal seria que ele aproveitasse o “fato político novo”, representado pela saída de Lula da cena política, para anunciar logo hoje sua decisão de concorrer. “Como presidente nacional do DEM, ele está com a faca e o queijo na mão”, disse a este Política Livre.

Resta saber o que pensa o democrata, que pode anunciar sua decisão até o sábado, quando encerra o prazo de desincompatibilização. A avaliação que fazia no mês passado, entretanto, minimizando, então, o virtual resultado contrário a Lula da parte do STF não convida ninguém a imaginar que ele está mais animado com a disputa depois de ontem.