Eunápolis: Em construção há 4 anos, terreno de creche acumula mato e vira abrigo para cavalos


11/04/2018 
Eunápolis: Em construção há 4 anos, terreno de creche acumula mato e vira abrigo para cavalos
 Mato toma conta de creche abandonada no bairro de Itapoan, em Eunápolis (Foto: Reprodução/TV Santa Cruz)
As obras de três creches, que deveriam atender a população da cidade de Eunápolis, no sul da Bahia, seguem paradas há mais de quatro anos, com cenário de abandono e deterioração. Em uma delas, o mato cresceu e o local agora serve de abrigo para animais, como cavalos. Segundo o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), mais de R$ 2 milhões já foram repassados à prefeitura para a construção das três unidades. Uma das creches, localizada no bairro Itapoan, começou a ser construída em 2012. A unidade deveria beneficiar 300 famílias do bairro e de outros três próximos. Até então, 80% da obra já foi concluída, mas faltam portas, vidros nas janelas, instalações elétricas e a finalização do reservatório de água. O que está pronto se deteriora por causa da ação do tempo e de vândalos. Com o abandono, tanto a parte da frente, quanto a parte de trás da construção estão tomadas por mato. Além disso, telhas estão quebradas e várias pichações foram feitas nas paredes da unidade. Segundo a prefeitura, a obra foi paralisada várias vezes por conta de problemas contratuais com as construtoras, e falta de repasse de dinheiro do governo federal. Os moradores reclamam. "Quando for para inaugurar, vai ter que fazer tudo de novo porque está tudo parado. Não tem nada funcionando e não tem ninguém de manutenção aí. Você não vê nada aí, ninguém aí", denuncia o aposentado Geraldo Garcia. 
Cavalos pastam em obra abandonada de creche em Eunápolis (Foto: Reprodução/TV Santa Cruz)
As mães de crianças que poderiam estar na unidade também protestam. "A gente quer trabalhar, né, e não pode porque não tem quem olhe", contou a dona de casa Thaís, mãe da pequena Lavínia, de 2 anos. Já no bairro Centauro, uma outra creche, que fica ao lado da prefeitura, está mais adiantada que a do bairro de Itapoan. Há mais de um ano que a estrutura está praticamente pronta. Faltam apenas os móveis e as ligações de água e luz, mas a entrega para a comunidade ainda não tem data prevista. Enquanto isso, o mato também se acumula no local. "Está abandonada há muito tempo. Muitas famílias, muitas pessoas poderiam estar trabalhando aqui. Um benefício em prol de nós", reclamou o motorista Edmar Santos. O pior dos casos está no distrito de Colônia, na zona rural da cidade. Uma creche que começou a ser construída há quatro anos teve a obra paralisada há cerca de um ano e meio. Apenas a fundação e algumas paredes foram feitas. Após a parada, o local foi abandonado. "Era um sonho de todas nós, mães, que precisamos muito da creche. Aí quando surgiu a possibilidade de construir, a gente ficou muito esperançosa. Só que começou a construção e não terminou", lamenta a dona de casa Letícia Ramos. Com a paralisação das obras, a unidade, que seria a primeira do povoado, e beneficiaria cerca de 200 famílias, passou a ser local de pastagem para cavalos, que se alimentam dos matos que cresceram no terreno. Um vídeo feito por moradores mostra a movimentação dos animais no local. "Até onde eu sei, creche é feita para pôr crianças. As mães que querem trabalhar deixam os filhos na creche. Aqui não. Hoje, na Colônia, a creche está sendo creche para animal", falou o carpinteiro Raimundo de Jesus, morador do distrito. De acordo com o secretário de Infraestrutura de Eunápolis, Robson Lopes, o contrato com a construtora da creche de Colônia foi cancelado porque a obra precisaria de mais de R$ 700 mil, mas o FNDE teria informado que não poderia dispor desse recurso. Em nota, o FNDE disse que a verba para a construção são do governo federal, mas a contratação das construtoras e gestão das obras é atribuição da prefeitura. Ainda no comunicado, o órgão disse também que acompanha a construção e vai liberando os recursos à medida que a obra avança. No entanto, o FNDE não detalhou quanto já foi repassado especificamente para a construção da unidade em Colônia, e nem se ainda será repassado mais algum valor. Em relação à creche do bairro de Itapoan, o FNDE informou, em nota, que já repassou mais de R$ 1 milhão - o que equivale, segundo o comunicado, a 75% do valor total da obra -, mas que, para receber mais recurso, a prefeitura deve regularizar a situação dos serviços. Sobre a creche do bairro Centauro, o órgão informou, no comunicado, que já repassou mais de R$ 1,3 milhão - equivalente a 95% do valor total -, mas que a obra também apresenta restrições, que devem ser resolvidas pela prefeitura. A Gerência de Convênios da prefeitura disse que já realizou as adequações necessárias para as obras da unidade, e que está aguardando análise do setor de monitoramento de obras e engenharia do Ministério da Educação. (G1 Bahia)