Ex-presidente Lula recebe visita de parentes na sede da Polícia Federal em Curitiba


O ex-presidente Lula recebeu visita de parentes na tarde desta quinta-feira (12) no prédio da Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. O petista está preso desde sábado (9). Por volta das 10h, três carros pararam numa entrada localizada nos fundos da Superintendência, de onde desceram ao menos cinco pessoas.

Um deles é o advogado Cristiano Zanin, defensor do político, e outro é Fábio Luís da Silva, conhecido como Lulinha, filho do ex-presidente. Uma mulher e um adolescente também entraram no prédio. Pouco tempo depois chegou o advogado e consultor de Lula, Sigmaringa Seixas segundo o Jornal Folha de S. Paulo.

Eles não falaram com a imprensa e deixaram o local por volta das 12h45. De acordo com a Lei de Execução Penal, visitas de cônjuges, companheiros, parentes e amigos “em dias determinados” são direitos dos presos. O dia de visitas para os demais presos na Polícia Federal paranaense é quarta-feira, mas o ex-presidente Lula não receberá visitas no mesmo dia. Apoiadores ao ex-presidente estão acampados próximo a sede da PF.

Isso para evitar que seus parentes cruzem com familiares de seus delatores Antônio Palocci, Léo Pinheiro e Renato Duque. Nesta quarta (11) a Comissão de Direitos Humanos do Senado aprovou a realização de uma diligência onde Lula está preso. Pelo menos dez senadores de PT, PC do B, PDT e PTB farão a inspeção no prédio.

A juíza Carolina Lebbos, responsável por observar o cumprimento da pena do petista, não autorizou a entrada de governadores e senadores que foram a Curitiba visitar Lula na terça (10). A magistrada argumentou não haver "fundamento para a flexibilização do regime geral de visitas próprio da carceragem da Polícia Federal".