PSB decide apoiar Ciro Gomes (PDT)


Para não ficar "solteiro" nas eleições de outubro, o PSB decidiu apoiar a candidatura de Ciro Gomes (PDT). Em reunião ocorrida nessa quarta-feira (28/6), governadores pressionaram o partido a unir forças com Ciro, ainda que a reunião de Executiva nacional tenha sido adiada. A coalizão entre pessebistas e pedetistas ocorreu endossada pelo governador Márcio França (PSB), mas foi definida mesmo pelos caciques pernambucanos que se encontraram com o candidato nas últimas semanas. Entre eles, o vice-presidente nacional do PSB, Paulo Câmara, governador do estado.

Fechar com o PSB era uma tarefa a ser cumprida cuidadosamente, ainda mais depois que o partido anunciou um namoro discreto com os tucanos. O ex-governador de São Paulo e também candidato ao Planalto, Geraldo Alckmin (PSDB), disse até que subiria nos palanques de França para reeleição como governador do estado. Foi Márcio França, aliás, que tratou de costurar o relacionamento dos pessebistas com Alckmin, rejeitado por parte dos filiados.

"O Márcio queria fazer coalizão com o Alckmin mas não deu certo, eles não queriam ceder um vice. Essa conversa com Ciro parece ter deixado essa possibilidade mais aberta, mas quem definiu a aliança foi Pernambuco. São Paulo estava inclinado a continuar negociando, mas não dá mais tempo. Estamos em cima da hora. Não adianta dizer que o eleitor só vai se interessar pelo pleito em agosto", detalhou um dos dirigentes do PSB.
A assessoria de imprensa do PSB, entretanto, disse que "nenhuma decisão será efetivamente tomada sem que haja reunião da Executiva Nacional".Correio Braziliense:/ (Crédito: Hélia Scheppa/Divulgação)