Médicos alertam para procedimentos de cirurgia plástica

Por Jordânia Freitas
A morte da bancária Lilian Calixto (46),  no último fim de semana, após complicações de uma cirurgia estética, realizada pelo médico Denis Cesar Barros Furtado, conhecido como Dr. Bumbum, acendeu o alerta sobre os cuidados que o paciente deve ter antes de se submeter aos procedimentos, que podem levar à morte ou deixar graves sequelas.  De acordo com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), cerca de 18 mil cirurgias plásticas foram realizadas na Bahia em 2017.   
Na avaliação do presidente da SBCP- Regional Bahia, José Valber Meneses, “toda cirurgia é uma agressão ao corpo e envolve riscos”, independente de ser a implantação de próteses de silicone ou uma abdominoplastia, por exemplo. Por conta disso, a SBCP tem investido na segurança dos pacientes, com cursos e programas de capacitação para os cirurgiões plásticos associados, focando no uso de novas tecnologias e procedimentos menos invasivos, que resultem em um menor tempo cirúrgico.
José Valber Meneses reforça que o paciente precisa ter cuidado ao escolher o cirurgião. Além da graduação em Medicina, que dura seis anos,  para atuar como cirurgião plástico, a residência é obrigatória. São dois anos como cirurgião geral e mais três anos fazendo apenas residência em cirurgia plástica. Dr. Bumbum não era especialista.
Todo o cirurgião plástico é associado da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Assim, o primeiro passo antes de realizar qualquer procedimento é checar se o profissional está cadastrado no site na instituição.
Ao digitar o nome completo do cirurgião, a entidade fornece informações como foto, CRM, telefone, tempo de atuação, local de atendimento e especialidade do médico. Em todo o estado, existem  183 cirurgiões plásticos, segundo informações da SBCP.
Conforme o presidente SBCP – Regional Bahia, o paciente também deve se atentar para o local onde o procedimento será realizado. Visitar a clínica e observar as condições dos quartos, do centro o cirúrgico, além de conferir se a unidade de saúde possui alvará  da vigilância sanitária. Dr. Bumbum operou a paciente em um local inapropriado, um apartamento residencial na Barra da Tijuca (RJ). “O paciente tem que se cercar do máximo de segurança possível, de que está fazendo o procedimento com um profissional qualificado e apto a realizar esse procedimento”, finalizou José Valber Meneses.
Mais procuradas
Meneses revela que as cirurgias estéticas de aumento de mama e lipoaspiração são as mais realizadas pelos baianos, em sua maioria, mulheres na faixa etária de 16 a 50. No entanto, ele destaca que os homens também estão aderindo cada vez mais aos procedimentos. “Hoje, a lipo em homens representa 15% do volume total. Homem também faz pálpebra e implante capilar”.Tribuna da Bahia