Neto diz que foi sua opção ter uma candidata a vice sem expressividade eleitoral

A decisão de ter uma militante do Movimento Brasil Livre (MBL) como candidata a vice-governadora na chapa majoritária de José Ronaldo (DEM) foi uma decisão do prefeito de Salvador, ACM Neto. Ao programa Se liga Bocão, na noite desta segunda-feira (6), o demista confirmou que foi opção ter uma candidata a vice sem expressividade eleitoral.

“Foi por opção. Eu quis trazer uma mulher, jovem, de Salvador, que pudesse dialogar com esse ambiente fora da política, que fosse defensora da saúde. Eu defendi muito que nós inovássemos nesse caso”, afirmou ao citar Mônica Bahia. Neto minimizou as negativas dos cotados a vaga de vice nos últimos dias.

“Eu tinha uma dezena de candidatos para colocar. Mas Zé Ronaldo fez certo de fazer essa opção”. O prefeito ainda ressaltou que os cotados precisavam abrir mão de um projeto político. “Os nomes que desejávamos tinham que abrir mão de um projeto político. A gente não podia colocar uma faca no pescoço das pessoas. Elas precisavam decidir. E ela [Mônica Bahia] chegou a conclusão de que poderia abrir mão de ser candidata a deputada”.

Pesquisas – o prefeito ainda afirmou que não vem se baseando nas pesquisas de opinião divulgadas que colocam seu candidato, Zé Ronaldo, com uma média de 9%. Segundo ele, o cenário deve mudar, e muito, após o início da propaganda eleitoral.

“Não espero nada de pesquisa antes de 20 dias de programa de televisão. O que vai dar amplitude, que ele será conhecido, é o programa de TV, rádio e programa político. Estamos muito tranquilos. Não vamos ficar presos a pesquisas. Vale lembrar que em 2014, Paulo Souto começou com um resultado como o de Rui Costa hoje e virou”, exemplificou.