Em aceno ao Nordeste, Bolsonaro diz que lamenta prisão do ex-presidente Lula

04 de Out // Foto: Edilson Dantas / O Globo | Eleições 2018
Com a estratégia de melhorar seu desempenho no Nordeste, principal reduto eleitoral do PT, o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, lamentou a prisão do ex-presidente Lula em entrevista a uma emissora de rádio de Pernambuco nesta quinta-feira. O deputado federal, no entanto, afirmou que o petista implantou "o maior programa de corrupção do mundo".

Jair Bolsonaro ainda prometeu combater as fraudes para aumentar o valor pela Bolsa-Família, atualmente em R$ 187,79. — Eu lamento o Lula estar nessa situação, preso, mas ele está colhendo o que plantou — disse Bolsonaro em uma entrevista de 14 minutos para a Rádio Jornal, do Recife segundo informações do O Globo.

O capitão da reserva afirmou ainda que Lula "tinha tudo para ser um grande presidente" e marcar a história, mas "enveredou por outro caminho." Ele acrescentou que Lula "tentou fazer com que o Brasil fosse de um só partido", e para isso "instituiu o maior programa de corrupção do mundo." Segundo ele, é essa a razão para falta de recursos de Saúde e Educação. O candidato do PSL prometeu ainda combater fraudes no pagamento do Bolsa-Família.

Ele classificou a quantia paga às famílias de baixa-renda como "desprezível": — O Bolsa-Família é quase que desprezível o que o pessoal ganha hoje em dia, é muito pouco. Eu sempre digo que nós temos que combater a fraude, porque tem vereador ganhando Bolsa-Família, tem alguns comerciantes também. É gente que não precisa estar ganhando. Se combater a fraude sobra dinheiro para pagar um pouco mais para o povo sofrido — não é no Nordeste não, é no Brasil todo — possa ganhar um pouco mais do Bolsa-Família.

O ex-capitão do Exército mirou suas críticas também ao seu principal adversário na urnas, Fernando Haddad, candidato do PT. O deputado federal pediu que nordestinos procurassem saber com amigos e parentes que moram em São Paulo como foi a administração de Haddad quando prefeito da capital paulista.

— Peça para os nordestinos que estão nos ouvindo, que tenham parente ou amigo em São Paulo, liguem para eles. Veja como o então prefeito Haddad administrou a prefeitura. Ele quer então trazer esse modelo de política para todo o Brasil. Ele foi tão mal que perdeu a reeleição no primeiro turno para o (João) Doria (PSDB) — disse Bolsonaro.

Líder das pesquisas de intenção de votos no país, Bolsonaro fica atrás de Fernando Haddad no Nordeste. A cúpula da campanha determinou como estratégia concentrar esforços na região na reta final antes da eleição do primeiro turno para diminuir a diferença.

— A grande surpresa positiva virá do Nordeste, tenho aceitação maior do que o Aécio (Neves) quando disputou com a Dilma e isso está crescendo — disse. Bolsonaro também usou as redes sociais para elogiar os nordestinos:

"A essência do povo nordestino é uma das principais belas formas da diversidade cultural do Brasil. Graças a estes homens e mulheres o Brasil é um gigante hoje. Preservando nossos valores familiares e com o o que temos em material humano e natural, podemos e seremos maiores", escreveu no Twitter.

À tarde, Bolsonaro voltou a falar aos nordestinos em uma entrevista à CBN de Recife. Ele falou que é alvo de calúnias de Haddad que estaria dizendo que ele acabará com o Bolsa-Família. — Sei que o senhor Haddad prega que vou acabar com o Bolsa Família. É um mentiroso — atacou.