Lula afirma que estratégia do PT para se opor a Bolsonaro só será definida no ano que vem

31 de Out // Foto: Reprodução / EFE | Política
Condenado e preso, o ex-presidente Lula teria dito a interlocutores do PT que seria melhor esperar até o Carnaval antes de definir a estratégia de oposição Jair Bolsonaro. Lula avaliou que Bolsonaro terá dificuldades para executar propostas radicais apresentadas durante a campanha devido ao "sistema de pesos e contrapesos". Na pauta do capitão da reserva estão prioridades como a reforma do Estatuto do Desarmamento.

Para petistas, o ex-presidente acredita que o Congresso e ao Supremo Tribunal Federal (STF) podem atuar como moderadores das propostas de Bolsonaro. "Tem que ver os próximos passos. Certamente ele não será a pessoa que foi na campanha", teria dito o ex-presidente, segundo relatos. O PT, neste primeiro momento, vai se opor a medidas pontuais de Bolsonaro.

Um deles é a tentativa de aprovar pontos da reforma da Previdência ainda antes da posse desde o primeiro momento. Mas o discurso de combate ao "fascismo" não é suficiente. De acordo com estes relatos ouvidos pela reportagem, Lula passou "dias de angústia" no último final de semana, quando foi proibido de receber visitas. Ele reclamou de ter passado o dia de seu aniversário, sábado (27) sozinho, de acordo com o jornal Estado de S.Paulo.