Dayane, a ponte de Bolsonaro na Bahia, vai conversar com todos



A professora Dayane Pimentel, da banda baiana dos 52 deputados federais eleitos pelo PSL no embalo de Bolsonaro, diz que neste momento a preocupação central do novo governo é a montagem da equipe. Quando isso for consolidado, conversará sobre projetos.
Ela conheceu Bolsonaro pelas redes sociais. Numa das postagens, ele gostou e respondeu. E disse que gostaria de conhecê-la pessoalmente. Hoje é tida como a interlocutora do presidente na Bahia. Veja tópicos da conversa com ela.
Rui Costa — Como será o relacionamento com ele?
– Vamos conversar com toda a sociedade baiana, inclusive os eleitores dele. O governo vai focar em saúde, segurança e educação.
ACM Neto — Como vai ficar ACM Neto no cenário?
– Com todo respeito a Neto e às outras lideranças, Bolsonaro tem os interlocutores dele, aqueles que o apoiaram de saída, que com ele se afinam. Não vamos fazer disputas. Vamos conversar.
Ponte — E a ponte Salvador-Itaparica, como você vê?
– Queremos entender o que os chineses querem, se o acordo visa apenas investir em infraestrutura ou há algum componente ideológico. Queremos apenas isso.
Feira 2020 — Pensa em se candidatar à prefeitura de Feira em 2020, como falam?
– Sou feirense, mas meu compromisso é com o Brasil, a Bahia. É por aí que vou trabalhar. Adiante decido se vou sair ou apoiar alguém.