‘Minha vida não depende de Bolsonaro, mas de Deus’, desabafa Magno Malta


06/12/2018 ‘Minha vida não depende de Bolsonaro, mas de Deus’, desabafa Magno Malta
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado
O senador Magno Malta (PR), na manhã desta quarta-feira, 05, deu uma entrevista ao jornal O Globo, onde disse que não guarda mágoa do presidente eleito, Jair Bolsonaro, por não ter sido escolhido para ser ministro de seu governo. “Minha vida não depende de Bolsonaro. Depende de Deus. Eu continuo orando para que Deus dê a ele a chance de fazer um país diferente”, disse Magno Malta. “Nós tínhamos uma missão. E a missão foi cumprida. Ela se encerrou dia 28 (de outubro, data do segundo turno). Cumprimos juntos uma missão de livrar o país desse viés ideológico. Sempre acreditei que o homem era ele. Briguei e lutei. É um sujeito honrado, de caráter, continua sendo meu amigo. E eu estava ali em oração. Ele não tem obrigação de me dar ministério ou emprego. Expectativa (de ser ministro) é uma coisa. Mas esse país tem 208 milhões de habitantes. Posso entender o fardo que ele está vivendo agora, sentado ali, enfrentando a velha política, tentando estabelecer um novo modelo, com críticas aqui e ali.” Ao fazer campanha para Jair Bolsonaro, os amigos próximo de Malta acredita que este foi o motivo pelo qual ele não conseguiu a reeleição ao Senado, mas isso não deixa Magno Malta triste, embora a partir de janeiro ele não esteja em nenhum cargo público, ele pretende seguir sua vida realizando palestras sobre as causas que acredita e se dedicar a sua carreira de cantor gospel, além de “curtir” sua família e duas netas. 
“Vou viajar o país inteiro. Fazer palestra. Tenho uma luta contra abuso de criança, pedofilia, minha marca está aí. Vou continuar fazendo palestra, cantando. Tenho 41 anos de carreira. Tenho 28 CDs gravados. Vivi sempre da minha música”, comentou o parlamentar evangélico. Ele diz que, se Bolsonaro ligar em busca de oração, estará de prontidão. Sobre ocupar outro cargo no governo, sem ser o de ministro, diz que está “deixando fluir”. Malta diz que, hoje, não disputaria novamente eleições: “Só se houver determinação do alto, de Deus. É só o que creio. Tem gente que acredita em Nietzsche, Che Guevara, Mariguella. Quando a gente fala de Deus, nego se encolhe. Mas a minha vida está nas mãos de Deus. Mas no meu coração, hoje, se dependesse de mim, não participo mais (de eleições).” (Informações: Portal Padom)