Uma reunião do Ministério Público da Bahia, na pessoa do promotor de Justiça Julimar Barreto, junto com vários prefeitos da região, tratou da atual situação financeira da Santa Casa de Misericórdia e Hospital Luiz Argolo na tarde desta quarta-feira (30), em Santo Antônio de Jesus, no recôncavo baiano. A reunião que aconteceu na sede da Santa Casa, também contou com a presença de Ludmila Reis, atual superintendente da Unidade Hospitalar que esclareceu que os R$ 80 mil reais hoje repassados pela Prefeitura de Santo Antônio de Jesus não é suficiente para acabar com o déficit de R$: 300 mil reais que fica todo o mês na Santa Casa.
ASSISTA A ENTREVISTA COM O PREFEITO DE SANTO ANTÔNIO DE JESUS
E a situação já foi repassado para os secretários de Saúde de outros municípios da região que fazem a utilização dos serviços prestados pelo hospital. Por este motivo, está havendo uma auditoria que vai até o dia 14 de março. E após várias horas de reunião, o Ministério Público apresentou um TAC – Termo de Ajuste de Conduta que foi assinado pelos prefeitos presentes para que divida as contas que a Santa Casa enfrenta. A maioria dos municípios da região usam dos serviços da Santa Casa.