IRPF 2019: último dia de entrega é nesta terça. Saiba como fugir da multa por atraso


 
RIO — Esta terça-feira é o último dia para que o contribuinte entregue o formulário de Imposto de Renda ( IRPF ) 2019. A Receita Federal já recebeu 25,2 milhões de formulários até as 17h desta segunda-feira, mas o Fisco espera que 30,5 milhões de brasileiros prestem contas. Quem ainda não preencheu o formulário e está correndo contra o tempo deve ficar atento à documentação. Os especialistas em tributos aconselham que é preciso ter em mãos, principalmente, os informes de rendimento (trabalho assalariado, investimentos financeiros, entre outros).
Por conta do prazo apertado, que termina às 23h59m, é possível que o contribuinte não consiga recolher alguns recibos ou documentos. Neste caso, a indicação dos especialistas é entregar a declaração mesmo que algumas informações estejam pendentes e, depois, enviar à Receita uma correção. 
— É importante tentar reunir o máximo de documentos possíveis. Caso a pessoa não consiga tudo, o aconselhado é entregar a declaração com os dados que conseguiu e, o quanto antes, enviar a retificadora — aconselha Paulo Pêgas, professor de Ciências Contábeis do Ibmec/RJ. — Muitos contribuintes não veem com bons olhos a retificadora, mas ela é um direito e pode ser usada neste caso para evitar a multa por entrega do formulário em atraso.
De fato, quem não entregar o formulário à Receita Federal até hoje, precisará pagar uma multa mínima de R$ 165,74, limitada a 20% do imposto devido.
O contribuinte que entregar em atraso não escapa da multa. Entretanto, se as informações não forem enviadas para o Fisco em momento algum, os danos para a pessoa são bem maiores que a multa.
Conforme explica Leônidas Quaresma, auditor fiscal da Receita, o Fisco sabe se o contribuinte precisa ou não declarar Imposto de Renda, uma vez que as fontes pagadores informam estes dados. Se esta comunicação não for feita por parte da pessoa física, o CPF ficará pendente de regularização:
— Com o CPF pendente de regularização, o banco bloqueia a conta bancária deste contribuinte — explica Leônidas. — Além disso, outras situações que precisam de CPF, como abertura de conta bancária, ser fiador etc. também ficam prejudicadas. Para evitar o pagamento de multas e não ficar com a regularização do CPF pendente, o contribuinte precisa enviar os dados para a Receita. o quanto antes.

Nenhum comentário