Mobilização em Dom Macedo Costa promove a conscientização sobre o autismo e combate ao preconceito no município

Unidos pelo combate ao preconceito com o Autismo, os moradores de Dom Macedo Costa foram às ruas na terça-feira (30), na Campanha de Conscientização sobre esta importante causa. Vestidos de azul, cor alusiva ao autismo, participantes da caminhada percorreram as principais ruas do centro da cidade, promovendo informação e mobilização. Estudantes do Colégio Estadual Eraldo Tinoco e da Escola Municipal Maria Bernadete participaram do ato. Também se fizeram presentes a equipe do Centro de Apoio Pedagógico Aurélio Pires, de Santo Antônio de Jesus.
Organizada pela munícipe Cristiane Cardoso, mãe de três autistas, e com o apoio da Prefeitura Municipal, a programação contou com atividades durante a última semana, envolvendo as Secretarias Municipais e toda comunidade. Na quinta-feira, uma sessão especial na Câmara de Vereadores indicou um marco importante para a causa do autismo em Dom Macedo Costa.
“A execução do projeto está sendo um sonho realizado. Porém, quero que toda essas ações continuem nos próximos anos. Então essa sessão especial foi de fundamental importância para que houvesse a indicação de um projeto de lei onde cria a Semana de Conscientização sobre o Autismo aqui no município”, pontuou Cristiane Cardoso, idealizadora da proposta. A indicação, aprovada pelos vereadores, já foi enviada pelo presidente Geraldo Jorge Sales para que a Prefeitura Municipal elabore o projeto e encaminhe para a votação na Câmara.
Durante a segunda-feira (29), o momento “Conversando sobre o Autismo” trouxe uma série de reflexões sobre a temática. A psicóloga Paloma Borges explicou as características do Transtorno do Espectro Autista (TEA). O soldado Uellington Fonseca, do 14º Batalhão da Polícia Militar, explanou sobre “A equoterapia na reabilitação das pessoas autistas”.
A equipe da Assistência Social, representada por Ladine Teixeira e Eridiane Barreto expuseram os direitos sociais da pessoa autista. Já o prefeito Guito Piton enfatizou sobre a necessidade de se continuar mobilizando a sociedade para a superação dos preconceitos. Em sua fala, a secretária de Saúde Luana Piton frisou que a responsabilidade sobre a causa do autismo deve ser compartilhada entre toda a sociedade, objetivando a ampliação dos espaços de inclusão.
A programação culminou na manhã de terça com a caminhada. “Vejo que com tudo isso, não somente meus filhos, mas toda sociedade macedense, em especial aquelas pessoas ainda sem diagnóstico e que vivem segregadas dentro de suas casas, irão ser beneficiadas. Vejo ainda que muito irá ser feito. A semente foi plantada, agora só nos resta regá-la. Estou muito feliz!”, afirmou Cristiane.

Nenhum comentário