No 1º semestre do governo Bolsonaro, 44 indicadores pioram e 28 melhoram

Entre os dados que mais apresentam deterioração, estão os das áreas do meio ambiente, educação e saúde

[No 1º semestre do governo Bolsonaro, 44 indicadores pioram e 28 melhoram]
Foto : Agência Brasil
Por Juliana Almirante no dia 11 de Agosto de 2019 ⋅ 
A maioria dos quase 90 indicadores nacionais, que passam da economia ao meio ambiente, regrediu nos primeiros seis meses da gestão do presidente da República Jair Bolsonaro (PSL).
O levantamento da Folha de S. Paulo verificou 87 estatísticas oficiais e de estudiosos que têm números atualizados até algum ponto do primeiro semestre de 2019 e cruzou com dados do ano passado. 
Os dados foram concedidos por ministérios, IBGE, além de órgãos de pesquisa e organizações tradicionais ligadas a determinadas áreas, a exemplo do ISA (Instituto Socioambiental), na questão indígena.
Desse total de indicadores, 44 pioraram, outros 15 permaneceram estáveis e 28 deles apresentaram alguma melhora.
Entre os dados que mais apresentam deterioração, estão os das áreas da educação, saúde e meio ambiente. As informações oficiais divulgadas pelo Ministério da Justiça apontam melhora nos índices de criminalidade do país.
Na economia, por sua vez, foi registrado um equilíbrio. Entre os 47 indicadores econômicos analisados, houve piora em 20 e melhora também em 20. Outros sete permaneceram estáveis.
Na parcela negativa dos dados, se destaca o comportamento na área de comércio exterior, indústria e endividamento das famílias. Por outro lado, é registrada melhora nos índices de inflação e da Bolsa de Valores, assim como ligeiro avanço nos resultados do emprego no país.
Os indicadores analisados na reportagem, no entanto, variam não necessariamente em função da gestão federal. A segurança pública é um exemplo, já que a maior responsabilidade cabe aos governos estaduais. Na economia, os índices são influenciados por conjunto de ações ao longo dos anos e que extrapolam fronteiras.

Nenhum comentário