Familiares de Damiana, morta pelo próprio marido e enterrada no quintal de bar, querem justiça; audiência do suspeito foi adiada

Familiares e amigos de Damiana dos Santos, de 55 anos, que foi morta pelo marido e enterrada no quintal de um bar, em de Santo Antônio de Jesus, no recôncavo baiano, fizeram um protesto pedindo justiça e pena máxima para o suspeito, na quarta-feira (11). Segundo a filha de Damiana dos Santos, Ivonete dos Santos, o protesto aconteceu porque a audiência do suspeito foi adiada pela Justiça.
A manifestação ocorreu em frente ao fórum e da delegacia de polícia. “Esse assassino tirou a vida minha mãe e não vai ficar impune. Queremos justiça”, disse Ivonete. “Não tinha nome que ele não esculhambasse ela em público. Teve um dia que ela me mandou um áudio me pedindo socorro, que ele estava querendo agredir ela”, completou. O corpo de Damiana dos Santos foi encontrado na segunda-feira (9).
A vítima estava desaparecida há 10 dias. De acordo com Ivonete, o sepultamento da vítima ainda não ocorreu porque foi levado para uma perícia em Salvador. Há uma pendência de documentação e, por isso, o DPT não liberou o corpo. Segundo o delegado Orlando Corsino, Antônio Santos confessou o crime e disse que matou Damiana durante uma briga por ciúme, após ela apontar uma faca para ele.
“Ele alega que eles tiveram uma discussão, que ela é muito ciumenta, teve aquele bate-boca e ela acabou puxando uma faca para ele. Ele diz que foi por esse motivo que ele pegou uma marreta e desferiu um golpe na cabeça dela”, explicou o delegado. O homem foi preso em flagrante após mostrar o local onde enterrou a vítima, nos fundos do bar que era propriedade do casal.
Dois dias antes, ele disse para a polícia que não sabia do paradeiro da esposa. “Nós já temos bastante informações. O inquérito eu ainda estou no prazo do encerramento, mas já está próximo do fim, e logo nós já vamos remeter para a justiça para que eles apreciem”, disse o delegado Orlando Corsino.

Nenhum comentário