Bolsonaro cancela assinaturas da Folha no governo federal e ameaça anunciantes do jornal


Segundo o presidente, o jornal "envenena o governo"; em nota, a Folha lamentou a decisão, que considerou "abertamente discriminatória"

[Bolsonaro cancela assinaturas da Folha no governo federal e ameaça anunciantes do jornal]
Foto : Valdenio Vieira/PR
Por Juliana Rodrigues no dia 01 de Novembro de 2019 ⋅ 
O presidente Jair Bolsonaro disse, ontem (31), que determinou o cancelamento de todas as assinaturas do jornal Folha de S. Paulo em órgãos do governo federal. Em tom de ameaça, o presidente também disse que os anunciantes do jornal "devem prestar atenção".
O periódico é alvo constante de ataques do presidente por realizar e publicar reportagens que trazem revelações controversas sobre o governo. Entre os casos recentes, estão o esquema de disparo massivo de fake news pelo WhatsApp e o chamado "laranjal do PSL", que envolve o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.
"Determinei que todo o governo federal rescinda e cancele a assinatura da Folha de S.Paulo. A ordem que eu dei [é que] nenhum órgão do meu governo vai receber o jornal Folha de S.Paulo aqui em Brasília. Está determinado. É o que eu posso fazer, mas nada além disso", disse, em entrevista ao apresentador José Luiz Datena, na TV Bandeirantes.
"Espero que não me acusem de censura. Está certo? Quem quiser comprar a Folha de S.Paulo, ninguém vai ser punido, o assessor dele vai lá na banca e compra lá e se divirta. Eu não quero mais saber da Folha de S.Paulo, que envenena o meu governo a leitura da Folha de S.Paulo", completou.
Bolsonaro voltou a abordar o tema mais tarde, em live nas redes sociais: "Não vamos mais gastar dinheiro com esse tipo de jornal. E quem anuncia na Folha de S.Paulo presta atenção, está certo?".
Em nota, a Folha afirmou que “lamenta mais uma atitude abertamente discriminatória do presidente da República contra o jornal e vai continuar fazendo, em relação a seu governo, o jornalismo crítico e apartidário que a caracteriza e que praticou em relação a todos os outros governos”.

Nenhum comentário