Prefeitura cogita proibir população de se exercitar na orla de Salvador

Na semana passada, o chefe do Executivo já havia prorrogado o decreto que restringe o funcionamento de bares, restaurantes, lanchonetes e lojas de conveniências em postos de combustíveis


[Prefeitura cogita proibir população de se exercitar na orla de Salvador]
Foto : Valter Pontes/Secom/PMS

Por Matheus Simoni no dia 14 de Abril de 2020 ⋅ 
O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), avalia a necessidade de proibir a população de realizar caminhadas e exercícios físicos na orla da capital baiana por causa do coronavírus. Na semana passada, o chefe do Executivo já havia prorrogado o decreto que restringe o funcionamento de bares, restaurantes, lanchonetes e lojas de conveniências em postos de combustíveis. Também está suspenso o funcionamento de casas de shows, boates, danceterias, casas de festas e eventos, clinicas de estética e salões de beleza.
“A cidade é muito grande. Temos 163 bairros. A Prefeitura está trabalhando com a sua capacidade máxima de fiscalização. Não temos como chegar em cada canto da cidade ao mesmo tempo”, disse o prefeito, em entrevista à TV Record Bahia hoje (14). “O momento não é de estar na rua. O momento é de estar em casa”, acrescentou Neto.
De acordo com o prefeito, ainda não se discutiu a proibição de circulação na orla para realização dos exercícios físicos. No entanto, a gestão municipal pode incluir a interdição da orla caso seja necessário. 

Nenhum comentário