Prefeitos ainda sonham com a prorrogação. Mas é só um sonho

Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara, só espera o ministro Luís Barroso tomar posse na presidência do Tribunal Superior Eleitoral, o que vai acontecer segunda, 17h, em solenidade virtual, para montar uma comissão que vai tocar o adiamento das eleições.
Prorrogação de mandatos dos atuais prefeitos e vereadores? Nem se cogita. Lembra o senador Otto Alencar (PSD) que prorrogação de mandatos é causa pétrea, o que exigiria a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte. Ou seja, não existe.
Justa causa — O contexto é este, mas, mesmo assim, ontem em videoconferência com colegas Eures Ribeiro (PSD), prefeito de Bom Jesus da Lapa e presidente da UPB, voltou a defender a prorrogação de mandatos para 2022, quando aconteceriam eleições gerais, de vereador a presidente, com mandato de cinco anos.
Ele pontua dois motivos:
1 – Não há condições, nas circunstâncias atuais, com a Covid invadindo os quatro cantos do Brasil, de se pensar em fazer campanha.
2 – É absurdo o calendário eleitoral do Brasil com eleições de dois em dois anos, o que desvirtua o sentido da representação política, que ao invés de cuidar das políticas públicas, só cuida de política eleitoral.
Por mais justa que seja a causa e lógicos os argumentos, teremos mesmo é eleição com pandemia. E, no futuro, combinar com a torcida lá de Brasília, que na maioria não quer mudar o jogo porque vive disso.
Em Urandi, lockdown zero
Urandi, município do sudeste baiano, lá na divisa com Minas, onde a população é muito próxima dos moradores da vizinha mineira Espinosa, tem dois casos suspeitos de Covid, mas o prefeito Dorival Barbosa (PP) descartou endurecer o jogo com a decretação de lockdown ou toque de recolher, se preciso.
– Se eu decretasse, não teria como fiscalizar. Só tenho dois policiais.
Urandi tem 16 mil habitantes e Espinosa, 36 mil.
Polêmica em volta do Abaeté
A Embasa viu brecha na pandemia e iniciou a construção da Estação Elevatória de Tratamento de Esgoto no Parque do Abaeté, mas os moradores da área não gostaram nem um pouco.
Eles dizem que a estação será implantada entre a Casa da Música, espaço cultural de grande visitação, e a própria lagoa, local sagrado para os nativos, que viram a capinação da área e começaram a distribuir protestos pelo zap.
Alba aprova três projetos
Depois de dois casos de Covid entre funcionários e da desinfecção das salas da presidência e outras, como a da informática, a Assembleia voltou a operar por via remota, no apoio, só o estritamente necessário, apenas quatro pessoas.
Foram aprovados os projetos que punem autores e quem propaga fakes, o auxílio de até R$ 30 mil para profissionais de saúde infectados e o que muda o sistema de proteção de policiais e bombeiros.
Em Cairu, prefeito cogita o ‘lockdown’ na Gamboa
Quase 15 dias depois que familiares de D. Nilzete Porfíria, falecida vítima da Covid, abriram o caixão dela no povoado de Gamboa do Morro, em Cairu, o prefeito Fernando Brito (PSD) diz estar com as antenas ligadas:
– Temos 13 casos lá. Se a situação se agravar, vou ter que endurecer. Até decretar o lockdown, se preciso for, eu farei.
Diz Fernando que na Gamboa, um povoado da Ilha de Tinharé, na qual ficam também Morro de São Paulo e Garapuá, o ideal será testar todos os cinco mil habitantes:
– Não temos como ter acesso a tantos testes. As empresas só querem vender em altas escalas, 20 mil, 30 mil. E é bom dizer que os prefeitos até agora não receberam um único centavo de ajuda.Foto Elza Fiuza, Tribuna da Bahia. 

Nenhum comentário