Ramarim demite mais de 300 funcionários em Santo Antônio de Jesus; governo da BA emite nota

A Ramarim demitiu nesta quinta-feira (28), em Santo Antônio de Jesus, no recôncavo baiano, mais de 300 funcionários e encerrou as atividades no município. As
demissões ocorrem devido à situação do país diante da pandemia do coronavírus, e a empresa não está conseguindo realizar as vendas e nem produzir, o que levou à demissão em massa. A expectativa é que a Ramarim reative suas atividades quando a crise financeira passar. A empresa informou que irá pagar todos os direitos dos funcionários. E após as demissões, o governo do estado se manifestou sobre fechamento da Ramarim no município.
“A Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado da Bahia (SDE) informa que está acompanhado o anúncio do encerramento de atividades da unidade fabril do Grupo Ramarim, no município de Santo Antônio de Jesus. Em reunião com executivos da empresa, foi comunicado oficialmente que, em virtude da pandemia do Covid-19, foi necessário fazer a interrupção, mas que todos os direitos trabalhistas serão observados. A Companhia disse ainda que há a possibilidade de migração de alguns funcionários para as unidades de Jequié, onde será concentrada a produção da marca”.
“Numa perspectiva de melhoria do mercado, pós-pandemia, será avaliada a possibilidade de retorno da operação na fábrica do Recôncavo. Os executivos da Ramarim agradeceram o apoio do Governo do Estado, disseram que foi uma difícil decisão, mas asseguraram à SDE que o desejo do Grupo é evoluir ainda mais em solo baiano, que sedia a unidade matriz da marca. A Secretaria lamenta os desligamentos, mas ressalta que tem dialogado com todas as empresas instaladas na Bahia e prospectado novos investimentos, que resultarão na geração de postos de trabalho. A pasta destaca ainda que, este ano, já assinou 23 protocolos de intenções para instalação ou ampliação de empreendimentos na Bahia”.
“Juntos, vão aportar R$ 1,7 bilhão em investimentos privados, com previsão de gerar 1,3 mil novos empregos diretos”. Quem se mostrou preocupado com a situação foi o médico e empresário Dr. Everaldo Junior que conversou por telefone com o secretário de Desenvolvimento do estado Walter Pinheiro. Quem também participou da conversa foi os vereadores Marcos Muniz e Francisco Damasceno. Já o secretário de Indústria em Santo Antônio de Jesus, Hélio de Aguiar, disse que irá ver se é possível alguma medida que reduza um pouco o impacto sobre as demissões de funcionários da Ramarim”.
Dr. Everaldo ao lado dos vereadores Marcos Muniz e Francisco Damasceno durante conversa com Walter Pinheiro


Nenhum comentário