Prefeitura de Muniz Ferreira fecha acesso à cidades finalidade impedir o fluxo e aglomeração de pessoas na cidade, além da chegada de pessoas infectadas por coronavírus.



O prefeito de Muniz Ferreira, Wellington decretou na última sexta -feira, dia 19, o fechamento a cidades do município e a instalação de uma barreira sanitária . As medidas valem finalidade impedir o fluxo e aglomeração de pessoas na cidade, além da chegada de pessoas infectadas por coronavírus. Determinou várias medidas de prevenção à pandemia do coronavírus (covid-19) com o objetivo de evitar a disseminação da doença na cidade. Por meio de decreto, a recomendação foi publicada no Diário Oficial do Município.

Só podem entrar nas cidades de Muniz Ferreira pela estrada moradores, prestadores de serviço para abastecimento de suprimentos e casos específicos de saúde, através de ambulâncias ou veículos que realizam tratamento fora do domicílio. O acesso está sendo liberado após a verificação da temperatura corporal, feita na própria barreira sanitária. A fiscalização está sendo realizada pela – Secretaria de saúde , com apoio da Polícia Militar.
A gestão municipal ainda ordenou o fechamento de quadras poliesportivas e campos, O prefeito Wellington Viera e vice Minde também prorrogou até l Recesso de 19 de junho a 03 de julho., as regras de funcionamento do comércio, entre elas a abertura apenas dos estabelecimentos considerados essenciais como alimentação, construção e serviços bancários. Restaurantes, bares e outros locais que possam gerar aglomerações permanecem fechados. Muniz Ferreira Atualização do boletim epidemiológico, no momento o município de Muniz Ferreira tem:




️04 casos confirmados sendo:
✅03 recuperados ( 02 na sede e 01 no Distrito da Sodoma).

❗️01 em isolamento domiciliar, monitorado pela equipe de saúde.

➡️06 casos descartados mediante teste.

➡️01 caso em análise.

Serviço público
Os órgãos da Administração Pública deverão implementar regime de plantão e rodízio de servidores, conforme o sistema de atendimento de cada órgão, de forma a equilibrar a restrição de convívio social com o atendimento ao público externo. A decisão assegura a presença diária de servidores, em número mínimo, para não comprometer os serviços públicos essenciais. Os servidores que não estiverem fisicamente nos órgãos desenvolverão suas atividades em regime de trabalho