JORGE PORTUGAL, Uma Revolução em Pessoa!


Texto do Professor Uberdan Cardoso

Quando Jorge nasceu, ninguém imaginava que havia ali um predestinado, uma doce alma Vingadora. Quis Olorum que justo no recôncavo baiano num berço abençoado por Nossa Senhora da Purificação, um menino preto se tornasse Portugal, o templário das letras, um colonizador ao contrário. Jorge ensinou a tod@s! Nas salas de aula, nas palestras, pela TV, ondas do rádio... Jorge fazia de tudo uma aula, era uma espécie de Midas que, se não inaugurou, foi quem melhor fez a aula espetáculo. Chamou o professor para o epicentro das atenções, e fez até da dor de um "menino acanhado", o grito uníssono de um Festival. Jorge, um dia, há mais de década, escrevi uma frase que Você me disse, numa agenda. Há pouco tempo a encontrei entre as muitas coisas velhas que ainda guardo, e não é que abri na página onde Você advertia: "não se pode matar os sonhos de alguém que pode ser uma Revolução em pessoa!". Agenda velha, frase atual. Eu corri para o telefone e te contei essa história e você me retribuiu num áudio com uma "Maravilha" que pelo tempo que durou parecia música de uma palavra só. Foi você quem chamou Roberto, Lazzo, Raimundo pra fazer poesia cantada e dizer que nossa Gente " tira a alegria da dor". Foi Você Jorge, que ajudou a reverter o processo civilizatório desta pátria de "pedra pisada de preto", mostrando aos nossos iguais que a Universidade é NOSSA, SIM! Foi Você quem me confessou que política adoece a gente e eu desconsiderei. Mas tambem foi Você, Portugal, quem refundou em suas aulas e em sua poesia, uma Bahia que um outro Jorge, tão Amado quanto você, já anunciava nos seus livros. Foi Você quem me fez sentir soberano com " minha pele de ébano" não é "meu Rei?" Pena que hoje Você resolve nos deixar, de súbito, num susto só. Nos deixa órfãos, sem o melhor do vernáculo, sem o melhor da poesia. Mas Valeu, Jorge! A cada pessoa que Você apontou um horizonte há uma doce vingança sobre a colonização que nos impuseram. Vai JORGE PORTUGAL, Você foi APROVADO!

Professor Uberdan Cardoso Santo Antônio de Jesus - BA

 


Nenhum comentário