Salinas da Margarida dá exemplo a Vera Cruz e Itaparica ao adotar testagem em massa e proteger a vida da população


A testagem em massa começou a ser praticada em Salinas da Margarida dia 7 de agosto. (Foto: PMSM)

Enquanto muitas prefeituras se esforçam para represar dados e evitar a divulgação  dos reais números de casos de Coronavirus, Salinas da Margarida, no Recôncavo, junto à Ilha de Itaparica, faz o contrário: adotou há   quase 15 dias a testagem em massa para identificar o número real ou mais próximo possível de pessoas contaminadas. A medida provocou o estouro no  número de registros, mas a população está mais segura.
Com pouco mais de 16 mil habitantes, Salinas da Margarida estava praticando toque de recolher até esta quinta-feira (20). Desde o dia 7 de agosto a testagem rigorosa de sua população e também dos visitantes está sendo praticada. Existem até pessoas de municípios vizinhos, onde falta teste, que vão para Salinas para se submeterem à testagem nas barreiras sanitárias.
Com duas barreiras fixas instaladas, que funcionam em regime de 24 horas ao longo da rodovia que liga o município à BA-001, só entra na cidade quem faz o teste de Covid-19.

Nenhum comentário