Você Trabalhou com Carteira Assinada em 2018? Veja Como Receber o Abono Salarial Pis/Pasep.


Imagem/R1

O governo federal prorrogou o período para o saque do abono salarial do PIS/PASEP (Ano Base 2018). Segundo a instituição financeira, dois milhões de trabalhadores não receberam o benefício, totalizando 1,3 bilhão de reais disponíveis.



A data limite para o saque era 29 de maio, portanto tem direito ao saque do abono, todos aqueles que não realizaram o saque até a antiga data-limite. Agora, estes trabalhadores terão a chance de sacar o valor no calendário 2020/2021.

As novas datas estipuladas para os saques seguem o mesmo calendário previsto para este ano, que foi organizado de acordo com o mês de nascimento do trabalhador quando estes forem da iniciativa privada inscritos no PIS, ou conforme o final do número de inscrição para servidores e militares do Pasep.

O abono do PIS é pago pela Caixa Econômica Federal e o pagamento do Pasep é de responsabilidade do Banco do Brasil.

Os clientes da Caixa e do BB, tiveram o crédito depositado automaticamente em suas contas, então estes, não tem mais o que sacar.

O que acontece é que muitos trabalhadores não são clientes destes bancos e vão precisar sacar o dinheiro no guichê. Este saque poderá ser realizado até o dia 17 de março de 2021.

Mesmo quem não efetuar o saque no novo prazo, poderá fazê-lo posteriormente, já que o prazo para sacar o abono salarial do PIS/PASEP é de até cinco anos, sem necessidade de determinação judicial.

O valor pago pelo PIS/PASEP pode ser de até um salário mínimo atualmente em R$1.045 e varia de acordo com os meses trabalhados com carteira assinada no ano-base (nesta situação falamos do ano de 2018, já que se trata do calendário antigo de 2019/2020).

Deste modo, quem trabalhou com carteira assinada por um mês em 2018 receberá 1/12 do piso nacional. O valor de um salário mínimo completo só será pago por quem trabalhou durante todo o ano.

Tem direito ao abono salarial quem recebeu, em média, até dois salários mínimos mensais e trabalhou com remuneração e carteira assinada durante, pelo menos, 30 dias em 2018.


É preciso ainda estar inscrito no PIS/Pasep há, no mínimo, cinco anos e ter os dados atualizados pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

( Saiba Mais )

Nenhum comentário