Governo corta quase 70% de verba para pesquisa científica em meio à pandemia

 

Medida afeta as principais entidades que atuam no combate à Covid-19 no Brasil, como o Instituto Butantan e a Fiocruz

[Governo corta quase 70% de verba para pesquisa científica em meio à pandemia]
Foto : Freepik

Por Adele Robichez no dia 27 de Janeiro de 2021 ⋅ 

O governo do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) diminuiu em 68,9% o valor investido em importação de equipamentos e insumos para a pesquisa científica. O corte, feito em meio à pandemia do coronavírus, afeta as principais entidades que atuam no combate à doença no Brasil, como o Instituto Butantan e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Em 2020, eram destinados à estudos científicos US$ 300 milhões (R$ 1,6 bilhão). Já em 2021, o valor previsto para a categoria é de US$ 93,29 milhões (R$ 499,6 milhões).

A cota de importação se refere à quantia atribuída para a compra de materiais importados para a ciência, isenta de impostos. O benefício fiscal é garantido por lei, mas a definição do valor é decidida anualmente pelo Ministério da Economia.

Em 2010, o valor era o dobro do de 2020 e em 2014, chegou a ser de US$ 700 milhões. Ele caiu para US$ 300 em 2017, 2019 e 2020.

O presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) informou que somente os projetos de combate à Covid-19 necessitariam de, no mínimo, US$ 108 milhões. "Caso mantido o valor definido, teremos uma profunda redução em relação aos últimos exercícios, o que implica refrear a capacidade de importação de bens e insumos destinados à pesquisa científica, tecnológica e de inovação brasileira, incluindo as pesquisas na área de saúde em quase 70%", explicou.