Dr. Leandro Lobo, ex-secretário da Saúde, emite nota sobre a Clínica do Rim em SAJ e afirma: ‘A nova gestão precisa empreender esforços

 


Nos últimos 4 anos, ou seja, de janeiro de 2017 até dezembro de 2020 o plano elaborado pela Secretaria Municipal de Saúde em parceria com a Clínica Rim para o serviço de Terapia Renal Substitutivo (TRS), principalmente no âmbito da hemodiálise foi uma referência de excelência para Santo Antônio de Jesus e para toda a região, sem deixar nenhum paciente em fila de espera. Aumentamos consideravelmente mês a mês a capacidade de ofertar diálise para os pacientes, acabando com o problema das filas.

Em 2017 recebemos o serviço em completa descontinuidade, sem contrato vigente, sendo necessário a formalização urgente de novo Contrato com a Clínica do Rim, por sabermos que a interrupção desse serviço poderia decorrer em inúmeros internamentos por agravamento do quadro clínico dos pacientes e ocupação de leitos em Unidade de Terapia Intensiva. Sendo assim, a tomada de decisão do Governo Rogério Andrade foi rápida, eficaz e objetiva, reconhecida por todos os pacientes que dependem do tratamento, tanto em SAJ como em toda a região.


Além da contratação de forma rápida dos serviços, nos primeiros dias de janeiro de 2017, o governo Rogério Andrade pagou o débito deixado pela gestão anterior, no valor de R$ 464.671,89. O pagamento foi feito por indenização, em concordância com todas as instâncias de saúde e órgãos de controle, porque o débito não estava em restos a pagar, nem empenhado, mas era imprescindível a continuidade rápida dos serviços.

Cumpre esclarecer agora sobre os supostos débitos deixados pela nossa gestão: o valor de R$ 277.226,68 (que somada a parcela de outubro daria o valor total de R$ 933.222.10), ficou no saldo deixado pela prefeitura em conta já que só entrou no caixa no dia 31/12/2020. Os serviços prestados no mês de novembro foram pagos e quanto aos serviços prestados em dezembro o recurso também ficou assegurado e previsto para entrar na conta em janeiro, pois o ciclo de recebimento do Ministério da Saúde é dessa forma, sempre repassado no mês subsequente.

Em resumo: não entendo a atitude da gestão atual em considerar a possibilidade de não manter os serviços. É um absurdo! A nova gestão precisa empreender esforços para manter o serviço aberto, pois o município tem papel importante nisso. É fundamental garantir o serviço. Inúmeras vidas dependem disso. O ex-prefeito Rogério Andrade deixou quase treze milhões de reais nas diversas contas para honrar os compromissos e não há desculpa para a descontinuidade da prestação dos serviços.

Espero que a atual gestão faça seu trabalho, principalmente em cenário de pandemia, deixe o palco e escreva sua história, pois foi o que fizemos, com responsabilidade, deixando todos e absolutamente todos os serviços de saúde funcionando no município com reconhecimento da sociedade e dos órgãos de controle.