Mosca-dos-estábulos atinge quatro territórios da BA; há registros entre Santo Antônio de Jesus, Cruz das Almas, Gandu e outras cidades

 


Produtores rurais do Território do Baixo Sul registram uma inesperada infestação da mosca-dos-estábulos em plena estação de estiagem e calor, o que facilita a produção das larvas e a disseminação do inseto. Para conter a proliferação, equipes da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) se reuniram, na última semana, com representantes da prefeitura de Valença, quando ficou acertada a participação dos agentes municipais de saúde nas ações de conscientização da população e dos cuidados que deverão ser adotados a fim de preservar os animais das picadas incomodas e reincidentes das moscas que agem em bando.

O problema tem sido causado pelo uso indevido da cama de aviário como adubo, atraindo as moscas. Para evitar que essa situação ocorra, técnicos da Adab estão notificando os produtores das regiões do Recôncavo, Vale do Jiquiriçá, Baixo sul e Sul baiano para os riscos que os animais correm, como uma série de doenças. De acordo com o diretor-geral do órgão, Maurício Bacelar, afirma que “as equipes estão em campo notificando os produtores de que a cama de aviário só pode ser usada se for enterrada ou após uma compostagem”. Na segunda-feira (15), já chegaram à Adab novos registros de moscas-dos-estábulos entre Santo Antônio de Jesus a Gandu, passando por Cruz das Almas , Jequié e Itabuna.foto reproduçao