*Prefeitura pretende implantar coleta seletiva em Santo Antônio de Jesus*

 


_Ação vai beneficiar catadores de materiais recicláveis e reduzir impactos ambientais_
Empenhando esforços para reduzir impactos ambientais negativos, a Prefeitura Municipal de Santo Antônio de Jesus (PMSAJ) pretende implantar a coleta seletiva no município. A preocupação com o meio ambiente foi reiterada nesta quarta (10) pelo prefeito, Genival Deolino, em visita ao aterro sanitário da cidade às margens da BA-046.
“Já estamos buscando viabilizar a implantação da coleta seletiva aqui em Santo Antônio de Jesus. Será feito um trabalho educativo com a população do nosso município para que nosso lixo seja separado minimizando os impactos ambientais. Para isso, contamos com o apoio do povo santoantoniense.”, destaca o gestor municipal.

A ação vai beneficiar tanto o meio ambiente que receberá um volume de resíduos menor, bem como catadores de materiais recicláveis. “Reduziremos a quantidade de lixo direcionado ao aterro, além de dar condição aos catadores de materiais recicláveis fortalecendo esses grupos produtivos e cooperativas de reciclagem.”, acrescenta Deolino.
A visita ao aterro municipal contou com a presença dos secretários municipais de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente, Wenderson Brito; Infraestrutura, André Araújo; Serviços Públicos, Carlos Antônio Andrade, além do procurador, Paulo Bispo, e do promotor de justiça, Julimar Barreto. A equipe conheceu a estrutura do local e a dinâmica de trabalho dos agentes ambientais.
*Aterro Sanitário*
Criado desde 2000, o aterro recebe diariamente uma média de 54 toneladas de resíduos sólidos domésticos dos municípios de Santo Antônio de Jesus, Muniz Ferreira e Dom Macedo Costa. O pátio, que tem capacidade para uma altura máxima de 25 metros, já teve gestão municipal entre 2001 e 2011 e há dez anos é gerido pela Copa Engenharia Ambiental.
De acordo com o engenheiro sanitário da empresa que administra o espaço, Caio Lima, a estrutura conta com um suporte multiprofissional integrado por engenheiros civil, ambiental, sanitário, de segurança do trabalho, biólogo, geólogo, além de técnicos e assistentes ambientais envolvendo 70 colaboradores distribuídos entre a coleta nas ruas e o aterro.
*Ascom PMSAJ*