Ex de médico assassinado na Bahia relata ameaças após boatos de que namora com suspeito do crime: ‘Áudios com coisas absurdas’

 A mulher que iria encontrar o médico Andrade Lopes Santana, achado morto após ficar dias desaparecido, disse estar sofrendo ameaças, por causa de boatos nas redes sociais que apontam que ela seria namorada do suspeito do crime. Ela contou que iria encontrar o médico no dia 24 de maio, em Feira de Santana, mas que ele acabou adiando o compromisso, para encontrar o colega Geraldo Freitas Júnior, principal suspeito do crime. De acordo com a mulher, que não quis se identificar, ela e Andrade Lopes tiveram um relacionamento quando ela morava em Araci. No entanto, a relação foi rompida e o médico tentava uma reaproximação.


“Eu e Andrade a gente já teve um relacionamento, quando eu morava em Araci. Mas terminamos quando eu vim para Feira estudar e trabalhar. Agora, ele tentou uma reaproximação da gente. E nesse dia [do desaparecimento], ele falou comigo, me chamou para almoçar. Perguntei onde, que horas. Cinco minutos após, ele falou comigo desmarcando e marcando um jantar, à noite. Ele disse que iria para o rio se encontrar com Juninho [Geraldo Freitas Júnior,]”, disse a mulher”.

Antes de ser apontado como suspeito do crime, foi Geraldo quem recebeu os familiares de Andrade, que saíram do Acre para acompanhar as buscas pelo corpo. O corpo do médico foi encontrado quatro dias depois de desaparecido, boiando no Rio Jacuípe, em São Gonçalo dos Campos, cidade vizinha a Feira de Santana. A mulher disse que tem escutado áudios com ataques em grupos de aplicativo de mensagem na internet. Ela disse que viu o suspeito do crime somente uma vez e que não é verdade que eles mantinham um relacionamento.

“O que mais está me alarmando é dizendo que eu era namorada do acusado de matar, o Juninho. Sendo que eu não o conhecia, só tinha visto ele uma vez, no aniversário de Andrade. Nunca tive contato com ele. Nada disso é verdade”, desabafou. Ela classificou o caso como absurdo e disse esperar somente justiça pela morte do médico e pelas informações publicadas na internet.

“Outras histórias muito graves mesmo. Áudios me difamando, coisas absurdas sobre a minha pessoa, xingamentos, muitas coisas. Mas todas as estão sendo tomadas medidas. Eu espero justiça, nada mais. Tanto eu como a família queremos que a verdade apreça. O real motivo [da morte do médico]. A população toda está aflita querendo saber o porquê”, afirmou. G1