Deputado que vai presidir a CPI da Covid no Rio Grande do Norte já quer convocar Rui Costa pela compra dos respiradores

 Líder do bloco de seis partidos que indicou três dos cincos membros da CPI da Covid-19 na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, o deputado Kelps Lima (Solidariedade), que deverá assumir a presidência dos trabalhos a partir de 4 de agosto, já antecipou uma lista de pessoas que serão convocadas ou convidadas para a prestações de depoimentos e informações durante as investigações de 12 contratos firmados pelo Governo do Estado durante a pandemia de coronavírus.

De acordo com informações publicadas nesta quinta-feira (29) pelo jornal Tribuna do Norte, o parlamentar incluiu o governador da Bahia, Rui Costa (PT), que presidiu o Consórcio Nordeste no começo de 2020, por ocasião da compra de respiradores para nove Estados, depois não entregues e causou um prejuízo de quase R$ 5 milhões somente ao Rio Grande do Norte.

“Diante disso, nada mais natural, e juridicamente cabível, que o presidente do Consórcio NE, responsável pela administração dos recursos e investigado no SJT, governador Rui Costa, também seja ouvido”, disse o deputado Kelps Lima, que continuou: “Já estamos preparando o pedido de convocação de Rui Costa, não na condição de governador da Bahia, mas na de gestor de recursos públicos potiguares”.


Segundo o impresso, Kelps Lima disse que a compra dos respiradores pelo Consórcio Nordeste é um dos 12 itens que serão investigados pela CPI da Covid-19. “Neste processo apresentarei pedido de convocação de diversas pessoas envolvidas na compra, além do pedido de compartilhamento da investigação que corre no STJ, além de Carlos Gabas, também serão convocados, só neste processo, várias pessoas envolvidas de forma direta ou indireta na fraude, como por exemplos os proprietários da empresa Hempcare, Cristiana Prestes Toledo e Luiz Henrique Ramos e ainda o empresário Paulo de Tarso Carlos, da Biogeoenergy”.

“Estes três empresários foram presos na Operação Ragnarok, que investiga o desvio dos 48 milhões de reais”, disse Lima, que também listou Jesiel Soares da Silva, fiscal do contrato dos respiradores, nomeado por Gabas, e Valdeir Claudino de Souza, gerente de administração do Consórcio Nordeste.

O deputado explicou que os estados nordestinos constituíram o Consórcio NE “para gerar economia e levaram um trambique. O Consórcio, juridicamente se equipara a uma Autarquia, pois é constituído com recursos públicos de cada uma dos Estados nordestinos” Outras pessoas, inclusive do Governo do Rio Grande do Norte, também serão convocados para depor tanto no caso dos Respiradores do Consórcio Nordeste, como nos outros 11 pontos investigados pela CPI da Covid-19. Foto: Carlos Prates/GOVBA/Arquivo(Política Livre)