"Ninguém pode colocar a faca no meu pescoço", diz Rui em resposta a João Leão

 


Acompanhado do candidato do grupo ao governo da Bahia, Jerônimo Rodrigues, Rui disse que não aceita pressão para renunciar ao cargo

Foto: Gov/BaPor: Chayenne Guerreiro no dia 15 de março 2022

governador Rui Costa (PT) subiu o tom nessa terça-feira (15) após o rompimento oficial do vice-governador João Leão (PP) com a base petista. Acompanhado do candidato do grupo ao governo da Bahia, Jerônimo Rodrigues, Rui disse que não aceita pressão para renunciar ao cargo, durante discurso na cidade de Amaldina, sul da Bahia.


"O povo da Bahia me deu o mandato até 31 de dezembro de 2022 e ninguém, sobre pretexto nenhum, pode colocar a faca no meu pescoço e dizer que eu abra mão desse mandato", bradou.

O PP entregou os cargos que ocupava no Executivo na segunda (14) e colocou como motivo para o rompimento a entrevista que Jaques Wagner (PT) deu a Mário Kertész, na Rádio Metropole, no dia 7 de março. Na ocasião, o senador petista revelou que Rui Costa continuaria no governo até o fim do mandato. A expectativa do PP era que Rui renunciasse ao cargo para disputar o Senado, entregando os últimos oito meses de governo a Leão. Em sua defesa, o PT afirmou que nunca formalizou esse acordo.MATERIA  METRO1