Vereador Delcio Mascarenhas defende que seja feito um estudo de viabilidade da Feira Livre antes mesmo do aporte de R$ 45 milhões

 Vereador Delcio Mascarenhas defende que seja feito um estudo de viabilidade da Feira Livre antes mesmo do aporte de R$ 45 milhões

 O vereador Delcio Mascarenhas (PSB/BA) defendeu uma postura de cautela antes mesmo do município se comprometer com um montante no valor de R$ 45 milhões para serem investidos na Feira Livre de Santo Antônio de Jesus, Capital do Recôncavo. 

 O portal de notícias Gazzeta do Recôncavo destaca agora os principais argumentos defendidos pelo parlamentar durante sessão.           

 “Eu queria começar a reflexão aqui com todos fazendo uma pergunta a população de Santo Antônio de Jesus concorda que o município tome R$ 45 milhões de empréstimo e invista apenas em um único equipamento? Essa é a primeira pergunta e vai ficar na cabeça de vocês para nós possamos  fazer uma reflexão, porque a gente tem uma cidade com muitas dificuldades, então a gente vai pegar um valor para poder investir, mas a gente vai investir em um único equipamento, a Feira Livre é importantíssima, é muito importante para a nossa cidade, mas nós temos muitos outros pontos importantes também, que mexe com a vida da população. Então esse é o primeiro ponto de reflexão. Se a gente tivesse hoje esse dinheiro no bolso cada e vocês fossem o prefeito vocês investiriam R$ 45 milhões em um único equipamento? Essa é a primeira pergunta que a gente precisa,  fazer essa reflexão, se isso é o que a gente precisa fazer”. 

 ESTUDO DE VIABILIDADE DA FEIRA LIVRE 

 “Na minha concepção, o que a gente precisava fazer primeiro era o projeto existe uma licitação em andamento, um valor estimado de quase um milhão de reais, para uma empresa fazer o estudo técnico da feira onde são 10 temas é mais complexo esse estudo, são muitas coisas é hidráulica, água, além do estudo do solo e subsolo. Faço outra reflexão com vocês porque a gente tomar esse dinheiro antes de saber o que realmente nós vamos fazer? Se a gente pode tomar esse dinheiro a qualquer momento? Porque a gente não primeiro fazer estudo saber se realmente ali vai poder fazer um estudo para fazer um estacionamento subterrâneo porque se fizer estudo do solo e não der o que vai acontecer? Vai tudo por água abaixo porque não vão ter as 600 vagas que estavam contidas no anteprojeto apresentado aqui. Então  na minha concepção, primeiro precisaria ter esse projeto, mostrar realmente como foi, conversar com os feirantes dar garantia que os feirantes precisam ter que é de manutenção das suas áreas”.