MPF acusa defesa de Lula de criar 'teorias conspiratórias' sobre processo do tríplex



O Ministério Público Federal (MPF) acusa a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de tumultar o processo do tríplex na segunda instância ao criar "terias conspiratórias" acerca do caso. A avaliação foi feita nesta última segunda-feira (19) em manifestação enviada ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).


No texto, o procurador regional da República Maurício Gotardo Gerum cita que a defesa do ex-presidente Lula dirigiu-se à imprensa para "fomentar teorias conspiratórias" depois de apresentar novas manifestações após encerramento do prazo antes do julgamento dos embargos de declaração segundo informações do Uol.



Segundo Gerum, as manifestações da defesa têm criado "incidentes incabíveis" com o único propósito de "retardar o julgamento dos embargos de declaração". O procurador da República fala em "má-fé processual". Ainda de acordo com informações do Uol, o desembargador federal João Pedro Gebran, responsável por levar os embargos à mesa para julgamento pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, ainda precisa se manifestar quanto a isso.


"A ansiedade defensiva em demonstrar a inocência de seu cliente, mesmo após o caso já julgado em duas instâncias e mesmo após o prazo do último recurso admissível já ter se esvaído, poderia então representar uma firma convicção de se estar levando ao Tribunal uma prova indiscutível, que pusesse por ter terra toda a fundamentação que serviu à condenação de seu cliente", disse Gerum. A defesa de Lula ainda não se manifestou a respeito do parecer.