Prefeito de Ribeirão do Pombal é denunciado ao MPE por contratação irregular de advogados


21/08/2018  
Prefeito de Ribeirão do Pombal é denunciado ao MPE por contratação irregular de advogados
Foto: Reprodução / Blog Marcos Frahm
O prefeito do município de Ribeira do Pombal, Ricardo Maia Chaves de Souza, foi denunciado ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) por irregularidades na contratação direta de escritório de advocacia, durante o exercício de 2017. A denúncia foi formulada pelos vereadores Sérgio Oliveira Rocha, Pedro Alexandre Nascimento e José de Deus Conceição Neto. O TCM julgou a acusação parcialmente procedente durante a sessão realizada nesta terça-feira (21). O conselheiro, relator José Alfredo Dias, determinou a formulação de representação ao Ministério Público Estadual para que seja apurada a eventual prática de ato de improbidade administrativa. O gestor ainda foi multado em R$5 mil. Também foi determinada a remessa desta decisão ao Ministério Público Federal para ciência e adoção de providências cabíveis no caso concreto. O contrato era no valor de R$200 mil, por meio do qual o escritório Caymmi Dourado Marques Moreira e Costa Advogados se comprometia à obtenção de decisão judicial que reconheça a desvinculação dos valores vinculados do precatório do Fundeb, possibilitando à prefeitura a utilização dos recursos de forma livre, “vez que sua natureza seria de caráter indenizatório”. O gestor, não comprovou a notória especialização da empresa contratada, nem a natureza singular dos serviços prestados, – que são requisitos indispensáveis à inexigibilidade de licitação. Segundo a relatoria, esses requisitos devem ser demonstrados objetivamente nos respectivos processos administrativos, e não apenas através de mera arguição retórica. Além disso, a relatoria questionou a legalidade do objeto contratual, tendo em vista que, segundo entendimento já consolidado no TCM e em consonância com decisão do próprio Superior Tribunal de Justiça, a verba recebida a título de precatório por diferenças oriundas do FUNDEF, tem destinação vinculada à educação. A decisão cabe recurso. (BN)