ACM Neto prega 'pacificação' do país e não garante que DEM integrará base de Bolsonaro

29 de Out // Foto: Valter Pontes / Divulgação | Eleições 2018
O prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) defendeu que o presidente da República eleito, Jair Bolsonaro, adote uma postura de conciliação, para “unificar o Brasil”. “Foi uma eleição muito polarizada e obviamente o Brasil não deu um cheque em branco ao presidente eleito. Não dá para governar apenas para quem votou nele”, ponderou o também presidente nacional do DEM.

O gestor sinalizou que o resultado foi contundente e mostrou que o “Brasil quer uma nova política, uma nova forma de trabalhar”. “Eu espero que o presidente eleito entenda a responsabilidade que recai agora sobre os ombros dele e sobretudo tenha condições de governar pacificando o país a partir de amanhã, porque a transição de governo começa amanhã”, apontou ACM Neto.

Para ele, o pronunciamento de Bolsonaro após a confirmação da eleição foi “muito maduro, de quem tem noção do seu compromisso com o país, respeitando a Constituição, as liberdades individuais”. Na condição de presidente nacional do DEM, o prefeito de Salvador não garantiu que o partido vá integrar a base aliada de Bolsonaro a partir de 1º de janeiro.

“O presidente tem que dizer que tipo de relação ele quer ter com o Congresso e com os partidos políticos. Se for uma agenda positiva, nós estaremos juntos e vamos ajudar ao governo. Então tudo isso agora vai aguardar e depender dos próximos passos, dos próximos capítulos dessa grande novela que espero que seja com um fim feliz sobretudo olhando para o brasileiro”, avaliou ACM Neto. Citado como eventual chefe da Casa Civil, o deputado federal Onyx Lorenzoni é membro do DEM no Rio Grande do Sul e, portanto, deve aproximar as relações entre o novo governo e o partido.

“Nós não vamos indicar ninguém, mas ele tem liberdade de escolher quadros do Democratas, inclusive já apontou o Onyx Lorenzoni no seu ministério. Nós vamos dar todo o suporte a essa decisão dele. Estamos há quatro anos vivendo numa crise que não dá mais para continuar. Acho que a gente pode virar essa página e construir um momento de soerguimento do Brasil, de recuperação do país”, indicou ACM Neto.

Diante do discurso de Bolsonaro, pregando “mais Brasil e menos Brasília” (veja aqui), ACM Neto aproveitou a fala para provocar o governador Rui Costa (PT), que fez uma intensa campanha para Fernando Haddad (PT), principalmente durante o segundo turno das eleições 2018. “Espero que o governador mesmo tendo feito uma campanha muito dura contra o Bolsonaro, sobretudo nesse segundo turno, ele esteja aberto ao diálogo”, sugeriu.

O prefeito de Salvador, que aderiu à campanha do candidato do PSL após a derrota de Geraldo Alckmin (PSDB) no primeiro turno, minimizou críticas passadas feitas à Bolsonaro. “Como candidato se mostrou muito mais preparado do que o deputado que eu conheci e convivi no Congresso Nacional”, ressaltou.