Em periferia do Maranhão, Haddad fala em reajustar Bolsa Família e congelar gás

22 de Out // | Eleições 2018
A despeito das dificuldades do governo para fechar suas contas, o candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, fez no último sábado (20) duas promessas que implicam aumento de gastos. A primeira delas é reajustar em 20% o valor do benefício do Bolsa Família, que começaria a valer a partir de janeiro próximo, em caso de eleição do petista. A outra é estabelecer um teto de R$ 49 para o preço do botijão de gás.

As duas promessas foram feitas durante agenda de campanha na periferia de São Luís (MA). “As famílias estão sofrendo. Quem tem hoje um benefício de R$ 200, vai receber R$ 240”, afirmou. A medida, segundo ele, teria um impacto de cerca de R$ 5,5 bi, valor que seria obtido com o aumento da arrecadação de impostos proveniente da reativação da economia.

Sobre o preço do botijão de gás, Haddad disse que “em nenhum lugar do país” o produto custaria mais que R$ 49, ante preços atuais que variam de R$ 80 a R$ 85. Segundo ele, a Petrobrás praticaria uma política de preços nas refinarias que permitiria a fixação de um teto para o gás. O petista disse que o gás responde hoje por cerca de 4% do faturamento da empresa. Haddad declarou que o Nordeste será o responsável pela “grande virada” na disputa