Estudante de medicina que morreu após ser picada por formiga é enterrada na Bahia

25 de Out // G1 | Bahia

 

A estudante Michelle Teixeira do Valle, de 24 anos, que morreu após passar mal depois de ter sido picada por uma formiga na casa onde morava, em Salvador, foi enterrada na manhã desta quinta-feira (25). O sepultamento ocorreu por volta das 10h, no cemitério municipal de Pilão Arcado, localizado no norte do estado, onde os familiares dela residem. Os parentes da vítima estão bastante abalados com a morte da jovem.

"É uma situação até difícil de acreditar, pela forma como tudo aconteceu. A morte dela gerou uma comoção muito grande aqui na cidade. Muita gente aqui conhecia ela, porque é uma cidade pequena. A situação é terrível, a família está destruída demais", disse o primo de Michelle, Luis Henrique, que é o atual procurador-geral do município segundo informações do G1.

A jovem de 24 anos morava com uma tia na capital, onde estudava medicina. Michelle é filha do ex-vereador da cidade Márcio Ribeiro do Valle e neta do ex-prefeito de Pilão Arcado João Ribeiro do Valle, já falecido.  O corpo dela foi levado para o município de Pilão Arcado na quarta-feira (24) e o velório aconteceu na casa da família. Michelle morreu após passar mal depois de ter sido picada por uma formiga na casa onde morava, em Salvador.

Segundo informações do Hospital da Bahia, onde a vítima foi atendida, Michelle chegou à unidade em estado extremamente grave na segunda-feira (22) , às 14h, conduzida por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). O hospital informou que, segundo os agentes de saúde do Samu, a paciente tinha sido vítima de uma picada de inseto, que evoluiu para grave síncope com choque circulatório e parada cardiorrespiratória (PCR).

Os médicos do Samu, ainda de acordo com o hospital, tentaram por cerca de 40 minutos reanimar a vítima antes de levá-la para a unidade de saúde. A jovem, conforme o hospital, chegou à unidade em coma profundo, sem reflexos de tronco. No hospital, foram solicitados todos os exames e testes toxicológicos. A paciente teve o protocolo de morte cerebral fechado na terça-feira (23), às 16h, e a família assinou o termo permitindo a doação de órgãos