Moa do Katendê foi morto por discussão político-partidária, conclui inquérito do DHPP

17 de Out // G1 | Salvador
O inquérito policial que apurou o assassinato de Romualdo Rosário da Costa, conhecido como Moa do Katendê, foi concluído pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) e encaminhado ao Ministério Público do Estado (MP-BA), na segunda-feira (15). A informação foi divulgada nesta quarta-feira (17) pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA). Crime aconteceu no início deste mês.

Conforme a SSP-BA, o inquérito concluiu que o crime, ocorrido na madrugada de 8 de outubro, foi motivado por uma discussão político-partidária entre Moa e Paulo Sérgio Ferreira de Santana, de 36 anos, que está preso. Moa, conforme apontam as investigações, disse a Paulo Sérgio que era contra o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL).

Além do depoimento de Paulo Sérgio Ferreira, que continua preso, o dono do bar onde aconteceu o crime, entre outras testemunhas, confirmaram que posições políticas adversas iniciaram a discussão. As investigações apontam ainda que, após Moa ter dito que votou em Fernando Haddad (PT), Paulo pagou a conta no bar, foi até a casa onde morava, voltou ao estabelecimento e atacou o mestre de capoeira com 12 facadas pelas costas.

Um primo de Moa do Katendê também acabou ferido. Um grupo com dezenas de pessoas participou de um ato em homenagem a Moa do Katendê, na noite de terça-feira (16), no Largo do Pelourinho, Centro Histórico de Salvador. Vestidos de branco, grupos de coletivos de identidades negras e capoeiristas participaram da mobilização após a tradicional missa celebrada às terças-feiras, na Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, no Centro Histórico.

Integrantes dos grupos Ilê Aiyê, Olodum e Filhos de Gandhy marcaram presença. Uma faixa grande com a hashtag "Moa vive" foi colocada na fachada do Museu da Cidade. O compositor, dançarino, capoeirista, ogã-percussionista, artesão e educador na propagação da cultura afro-brasileira completaria 64 anos de vida no dia 29 deste mês de outubro. Na manhã do sábado (13), familiares e amigos já tinham se reunido na missa de sétimo dia de Moa do Katendê. O ritual religioso também foi realizado na Igreja de Nossa Senhora do Rosários dos Pretos.