Jair Bolsonaro defende escolha de ministros sem discussão com partidos no Congresso

26 de Nov // Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil | Política
O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) defendeu no domingo (25), o modelo de escolha de ministros por meio de acordos com bancadas temáticas no Congresso, e não via partidos. "Estamos escolhendo melhor e queremos pessoas independentes, isentas, que sejam honestas e que pensem no Brasil e não em agremiação partidária", afirmou ele, ressaltando que prometeu que faria "uma política diferente".

Por isso, disse que as negociações não são feitas com partidos, mas sim com as bancadas no Congresso. Perguntado sobre possível efeito adverso dessa estratégia em apoio no Congresso, disse que "vai da consciência de cada um". Até agora, foram nomeados 13 ministros, em um processo que vem privilegiando a consulta a bancadas no Congresso.

Ele concedeu rápida entrevista ao deixar a Escola de Educação Física do Exército, na zona sul do Rio de Janeiro, onde participou de uma grande cerimônia. "As votações importantes não são para o presidente nem para o Parlamento. São para o Brasil", afirmou na entrevista, que foi concedida pelo presidente eleito de pé na porta do carro na saída da Fortaleza de São João, na Urca, sob aplausos e gritos de apoio das pessoas que estavam no local.

"Espero que até o final do mês esteja resolvida essa questão dos ministérios", afirmou . Nesta terça (27), ele volta a Brasília para reuniões com aliados e com a equipe de transição. Ele não quis, porém, adiantar a agenda dos encontros nem se anunciará novos ministros. Na quarta (28), o presidente eleito deve retornar ao Rio.

Palmeirense, o presidente eleito disse que sua equipe de segurança foi unânime em desaconselhar sua ida ao jogo Vasco X Palmeiras, na tarde deste domingo, que pode garantir o título brasileiro ao time paulista. Até no sábado (24), ele dizia que ainda estava decidindo se ia.

O jogo será realizado no estádio São Januário, do Vasco, e foi considerado de alto risco pela Polícia Militar, que esta semana anunciou aumento no efetivo para partidas do time. "Vou ver [o jogo] em casa mesmo. [Vou] torcer pelo empate", afirmou Bolsonaro. Informações do Folhapress