Com ‘sacrifício’, governo anuncia dragagem em terminal da travessia Salvador-Mar Grande


O atraso, a falta de visão e o descompromisso com os serviços prestados à população são responsáveis até hoje por cenas como esta do Terminal Hidroviário de Vera Cruz. O equipamento fica inoperante em períodos de maré baixa, pois as embarcações não podem atracar. Mas o governo garante que agora vai fazer a dragagem, prometida desde 2007. (Foto: Arquivo Jornal da Mídia)
REDAÇÃO DO JORNAL DA MÍDIA
Prometidas desde 2007 pelo então governador Jaques Wagner, as obras de dragagem e derrocagem do Terminal de Vera Cruz (Mar Grande), na Ilha de Itaparica, serão finalmente realizadas. Pelo menos é o que estabelece a ordem de serviço que será assinada nesta terça-feira (8) pelo governador Rui Costa, em evento em Vera Cruz.
O Terminal de Verá Cruz é um dos dois utilizados (o outro é o Terminal Náutico) pelo sistema da travessia Salvador-Mar Grande, que é o meio de transporte mais rápido e essencial para a população de Vera Cruz no deslocamento para a capital.
Contudo, em períodos de maré baixa as embarcações do sistema são obrigadas a suspender as operações porque o canal de navegação do terminal está completamente assoreado, sem profundidade para o tráfego das embarcações. Um verdadeiro atraso para um Estado que se diz ”preocupado” com os serviços essenciais que deveriam chegar com mais qualidade à população.
O Potencial da Travessia – A travessia de Mar Grande já existe há mais de 50 anos, tem um grande potencial, movimenta enormemente a economia de Vera Cruz, tem um tempo de viagem menor em relação ao ferry-boat (35 a 40 minutos contra uma hora e 10 minutos), e privilegia os baianos e turistas em seu trajeto com uma imagem fantástica da Baía de Todos os Santos. Mesmo assim, nunca foi tratada com a prioridade devida pelo governo.
É possível que desta vez o governo do Estado realmente execute o projeto de dragagem (remoção de sedimentos como areia do canal para permitir a passagem das embarcações) e derrocagem (processo de retirada das pedras que impedem a plena navegação), que vem se arrastando há anos na burocracia de órgãos do Governo do Estado, como a Secretaria de Infraestrutura (Seinfra) e Inema (Instituto do Meio Ambiente).
Burocracia e falta de vontade. Sabe-se que o governo – ou alguns setores do governo que sempre jogam conforme os seus interesses – nunca teve preocupação em fazer os serviços no canal de navegação do terminal de Vera Cruz para não favorecer a travessia Salvador-Mar Grande e, consequentemente, tirar uma parcela de passageiros do Sistema Ferry-Boat. Este sempre foi o motivo número um.
Tudo para a Internacional Marítima – Como se sabe, o governo investiu fortemente desde 2004 no ferry-boat para atender a Internacional Marítima, que ele (o governo), foi buscar no Maranhão. Mesmo prestando péssimos serviços aos usuários, com filas de espera de mais de seis horas, como as que ocorreram no último final de semana, a Internacional Marítima continua muito favorecida e opera sem qualquer cobrança ou fiscalização do governo. Foram milhões investidos na reforma da frota do Sistema Ferry-boat, na compra de duas embarcações e em obras de infraestrutura.
O órgão do governo que ”regula” o setor do transporte marítimo, a Agerba, atua mais como uma parceira amiga da empresa ligada aos Sarneys. E para não deixar de marcar sua participação no ferry-boat, o Governo do Estado também vai fazer agora a dragagem do Terminal de Bom Despacho, que é operado integralmente pela Internacional Marítima, com direito a explorar as bilheterias, os pontos comerciais e até o Terminal Rodoviário. Tudo isso sem pagar um centavo ao poder concedente, o Estado. Mesmo assim, o governo está estendendo a sua mãozinha aos maranhenses, que não investiram um centavo por aqui.   

Nenhum comentário