Sindicalista comemora isenção do ISS, mas avalia: 'Neto tem que descer do pedestal'


Presidente do Sindicato dos Rodoviários lembrou de trabalhadores que perderam seus postos com fechamentos de empresas, como Barramar

[Sindicalista comemora isenção do ISS, mas avalia: 'Neto tem que descer do pedestal']
Foto : Gilberto Júnior / Arquivo / BNews
Por Metro1 no dia 08e Agosto de 2019 ⋅ 
O presidente em exercício do Sindicato dos Rodoviários da Bahia, Fábio Primo, avaliou que a aprovação da isenção do imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS) para os permissionários das empresas de ônibus de Salvador, pela Câmara de Vereadores, foi “importantíssima”. A dedução de R$ 0,12 foi acordada por meio de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) entre a prefeitura, o Ministério Público do Estado (MP-BA) e as concessionárias.
“Hoje, transportamos pouco mais de 18 milhões de pessoas. É importantíssimo a sobrevivência do sistema de transporte. Estamos preocupados com nosso posto de trabalho. Não estamos pedindo nada para empresários, que a gente respeita. Não existe transporte público sem subsídio”, disse durante o Jornal da Cidade, na Rádio Metrópole, nesta quinta-feira (8).
Na entrevista, o representante da categoria também lembrou da decisão da licitação da prefeitura que, em 2014, após licitação, assinou contrato com os consórcios Plataforma, Ótima e Salvador Norte para concessão da operação do Sistema de Transporte Coletivo de Salvador (STCO). Primo ainda citou o prejuízo amargado por trabalhadores que perderam seus postos, quando empresas como a Barramar, encerraram as atividades.
“É preciso, senhor prefeito ACM Neto, não estou do seu lado… Quero lhe falar como rodoviário. É o momento do senhor ver o transporte com mais responsabilidade. […] É preciso subsidiar, não estou pedindo nada pelos patrões, estou pedindo pelo sistema que está afundando. É o momento de o senhor ACM Neto descer do pedestal. É o momento de resolver um problema que o senhor criou. Se o senhor quer seguir na vida política, tem que resolver esse problema que o senhor criou”.

Nenhum comentário