Vilas-Boas acusa governo Bolsonaro de usar 'politicamente' pactuação da BA por policlínicas

Vilas-Boas acusa governo Bolsonaro de usar 'politicamente' pactuação da BA por policlínicas


por João Brandão / Matheus Caldas
Foto: Paulo Victor Nadal / Bahia Notícias
O secretário de Saúde do estado (Sesab), Fábio Vilas-Boas, afirmou que o governo de Jair Bolsonaro utilizou "politicamente" uma pactuação firmada entre a Bahia e a gestão de Michel Temer para um cofinanciamento na administração das policlínicas no estado. Atualmente, a gestão estadual entra com o investimento inicial de construção, e os recursos de manutenção ficam divididos, 40% sob responsabilidade do estado e 60% a cargo dos municípios.

“No governo passado, havia uma pactuação de que o governo federal iria entrar como cofinanciador dessa ação que eles enxergavam como justa. Ocorre que, na primeira semana do governo Bolsonaro, eles encontraram esse ofício, e usaram politicamente como se nós estivéssemos pedindo dinheiro para ajudar nas policlínicas. Nós não pedimos isso”, indicou, em entrevista ao Bahia Notícias.

O assunto foi levantado pelo líder do oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), o deputado estadual Targino Machado (DEM). O parlamentar provocou a Sesab, e afirmou à imprensa que o governo do estado pediu R$ 61 milhões à União para serem destinados às policlínicas.

Em 2018, o então ministro da Saúde Gilberto Occhi visitou a Bahia. No encontro, Vilas-Boas sinalizou a possibilidade de haver uma gestão tripartite das policlínicas. “Naquela ocasião, nós sinalizamos ao ministério que elas deveriam ser espalhadas por todo o Brasil, e que deveriam ter, assim como tudo no SUS, um financiamento tripartite. E hoje, ela tem um financiamento bipartite”, conta.

Mesmo com críticas à postura da gestão federal, o titular da Sesab afirma que se encontrou mais de uma vez com o atual ministro da Saúde, Luiz Mandetta. "Foi entregue um relatório ao ministro sobre o funcionamento das policlínicas para que o modelo seja implantado no resto do Brasil”, declarou.

Nenhum comentário