Flávio Bolsonaro acusa juiz que autorizou operações contra Queiroz e sugere ligação de magistrado com Witzel


Senador sugeriu que filha de magistrado é funcionária fantasma de governador do Rio; juiz nega

[Flávio Bolsonaro acusa juiz que autorizou operações contra Queiroz e sugere ligação de magistrado com Witzel]
Foto : Jefferson Rudy/Agência SenadoFonte: Agência Senado
Por Juliana Almirante no dia 20 de Dezembro de 2019 ⋅ 
O senador Flávio Bolsonaro acusou a filha do juiz Flavio Itabaiana de Oliveira Nicolau de ser funcionária fantasma do governador do estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), de acordo com o blog de Fausto Macedo, do Estadão. 
O magistrado da 27° Vara Criminal determinou a operação de buscas e apreensões direcionada a endereços ligados ao parlamentar e seus ex-assessores na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), incluindo Fabrício Queiroz.
“Sabe aonde a filha desse juiz, a Natália Nicolau, trabalha? Trabalha com o governador Wilson Witzel. É uma boquinha que parece ser boa, vocês podem investigar, pois eu ouço falar, não sei se é verdade, que ela não aparece muito por lá não”, insinuou Flávio.
“Seria bom vocês investigarem se não tem uma funcionária fantasma no gabinete do governador que é filha desse juiz”, completou.
Em nota, o governo do Rio afirmou que “o governador Wilson Witzel respeita as instituições, não interfere no trabalho de investigação policial, nem sobre o Ministério Público”. 
Conforme o comunicado, Natália Nicolau trabalha na Casa Civil do Estado como “Secretária II”. Ela foi nomeada 15 dias antes da distribuição do processo do senador ao pai da servidora, Flávio Nicolau.
Em resposta, o juiz Flávio Nicolau sustenta que a Lei Orgânica da Magistratura “não permite aos magistrados manifestar opinião sobre processo pendente de julgamento”. 
O magistrado ainda alega que “que suas decisões sempre foram devidamente fundamentadas, sendo por isso respeitado por magistrados, promotores, defensores, advogados e as partes envolvidas nas causas”.
Em relação à sua filha, o magistrado também afirma que ela trabalha diariamente na Casa Civil do Governo do Estado do Rio de Janeiro.

Nenhum comentário