Na Bahia, jornalistas da Globo denunciam nas redes sociais homofobia em hotel de luxo

Os repórteres Erick Rianelli e Pedro Figueiredo, da Rede Globo, usaram as redes sociais para relatar um caso de homofobia.
Casados desde maio de 2018, eles afirmam terem sido discriminados no Hotel Ibero Star Praia do Forte, no município de Mata de São João, na Bahia.
Segundo os jornalistas, eles reservaram um quarto para casal, mas na chegada ao hotel, foram instalados em um quarto com duas camas para solteiro.
Após uma reclamação, funcionários teriam se oferecido para juntar as camas. Foi preciso que Erick e Pedro ameaçassem chamar a polícia para que um quarto com cama de casal fosse disponibilizado.
“A homofobia de cada dia aconteceu também no @IBEROSTAR Praia do Forte. Reservamos um quarto de casal e nos deram um com duas camas de solteiro. Só aceitaram trocar nosso quarto depois que ameaçamos chamar a polícia”, postou Pedro, em seu perfil no Twitter.
“O @iberostar Praia do Forte tem uma localização incrível. Homofobia é outro atributo do resort. Reservamos um quarto de casal e nos deram um com duas camas de solteiro. Só aceitaram trocar nosso quarto depois que ameaçamos chamar a polícia. Antes disso ouvi, pelo telefone, ‘Podemos até juntar as duas camas'”, relatou Erick, por meio dos stories de seu Instagram.
O Iberostar Hotels & Resorts é uma rede de luxo instalada em vários países da América Latina. No Brasil, são duas unidades na Bahia e uma no Amazonas, em Manaus. Na unidade em que ficaram os repórteres da Globo, a diária de um quarto para casal gira em torno de R$ 2.300. De acordar com o  site Na Telinha, o hotel não se manifestou.ww.metropoles

Nenhum comentário