Se presidente bater os 35% nas eleições na Bahia, João Roma estará no 2º turno com Wagner, aposta Bolsonaristas; veja

 







Agência Brasil
Determinada a elevar a popularidade de Jair Bolsonaro (sem partido) no Nordeste, a equipe do presidente da República faz, de fato, uma aposta no ministro João Roma (Cidadania) para a missão. O fato de Roma ter nascido e se criado em Pernambuco e feito carreira política na Bahia são, para os bolsonaristas, sinais suficientes de que conhece bem a política da região e sabe como inserir-se nela. Seu papel seria, neste caso, transformar os programas sociais que pilota na pasta em dividendos políticos e eleitorais para o governo Jair Bolsonaro, com vistas, sobretudo, a 2022, ano da reeleição. Mas o grupo parte do pressuposto de que o movimento não é de mão única. Fortalendo Bolsonaro, principalmente na Bahia, ele estaria também forte para a eventualidade de o presidente querer que dispute o governo do Estado. Hoje, pelos cálculos da equipe que assessora eleitoralmente o presidente, se Bolsonaro bater os 35% nas eleições na Bahia, o ministro estará ‘seguramente’ no segundo turno, enfrentando Jaques Wagner (PT) pelo governo baiano. Política Livre