João Doria rebate suspeitas de Bolsonaro sobre venda da CoronaVac pelo Butantan e diz: ‘É um desinformado total, alienado da realidade’

 O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), rebateu as suspeitas levantadas pelo presidente Jair Bolsonaro em relação ao contrato de venda da vacina CoronaVac pelo Instituto Butantan. Segundo o presidente, ele teria um documento enviado pela farmacêutica Sinovac, que desenvolveu a vacina, oferecendo a dose da CoronaVac por US$ 5, enquanto a dose foi vendida por US$ 10 pelo Butantan. Segundo Doria, as declarações de Bolsonaro são de uma pessoa “desinformada” e “alienada”.


“O governo Bolsonaro, liderado por um genocida que é o presidente da República, que compra cloroquina e não compra vacina, e quando decidiu comprar vacina foi com propina, acusa o Butantan de fazer sobre preço. É um desinformado total, alienado da realidade, não tem a menor procedência uma colocação dessa natureza”, disse Doria em entrevista ao programa Isso é Bahia, da rádio A Tarde FM 103,9, nesta sexta-feira (23).

O tucano também levantou dúvidas sobre a existência do documento citado por Bolsonaro. “Se existisse documento por que o presidente não apresenta? Evidente que não [existe]”, afirmou. Na visão do governador de São Paulo, as acusações fazem parte de uma “narrativa bolsonarista querendo impor uma tese diferente da realidade”. “Ele que explique na CPI porque que o Ministério da Saúde tava negociando a compra de vacina cinco, seis, sete, oito e 10 vezes mais que o valor praticado no mercado”, completou João Doria.