Alice Portugal e Olívia Santana falam da importância cultural de Maragogipinho para a Bahia

 

 

A deputada federal pelo PCdoB, Alice Portugal e a deputada estadual Olívia Santana (PCdoB), estiveram presentes no evento de abertura das Feiras de Artesanato da Bahia, realizado em Maragogipinho.

 





Durante entrevista à imprensa, Olívia Santana falou do importante trabalho realizado pelas mulheres artesãs do recôncavo baiano. "Importantíssimo e na condição de deputado estadual e na condição de presidenta da comissão dos direitos da mulher da assembleia legisla da bahia eu não tenha nenhuma dúvida da importância dessa feira, como essa feira faz com que o povo de Maragogipinho acordei hoje com esperança porque a cultura foi o primeiro setor a parar e o último a retomar as suas atividades e essas mulheres daqui a gente vê o sorriso a animação, a alegria nas barracas, as pessoas vendendo seus materiais, suas obras de arte, o artesanato não é apenas um trabalho manual, o artesanato é uma obra de arte e essas mulheres estão vendendo, está gerando renda e vai com certeza aquecer a economia local, não só de Maragogipinho, de Aratuípe, mas de toda a região. Então é muito importante, eu assumi com o prefeito e vou sim na segunda feira dar entrada no projeto de indicação pedindo a recuperação da BA, é preciso ter celeridade nessa obra, são apenas cinco quilômetros e isso vai ser muito importante para melhorar ainda mais o escoamento da mercadoria. Parabéns ao povo de Maragogipinho e ao prefeito Tone”, destacou.

 

Na ocasião, a parlamentar defendeu a necessidade de fazer uma grande rede de prefeitos, vereadores e deputados no sentido de reduzir a desigualdade que há entre as mulheres. Desigualdade salarial, mulheres chefes de família que criam seus filhos sozinhas, precisam de políticas públicas de qualidade para garantir a autonomia e a igualdade entre homens e mulheres.

 


“Essa é uma iniciativa da SETRE do Governo do Estado da Bahia mostrando que é uma política de artesanato para o estado. Nós tivemos durante muitos anos o Instituto Mauá e se revelou que era necessário ampliar para além da fronteira da capital, onde o Mauá atuava majoritariamente, o artesanato para a nossa Bahia, a nossa Bahia é do tamanho da França. Essa política de artesanato une as regiões, porque nós temos características regionais muito fortes, a Bahia são várias e essa feira será itinerante, vai incluir sete cidades, vai incluir regiões importantes. E sem dúvida o recôncavo é um celeiro de manifestações artístico-culturais, desde o artesanato do barro que é aqui é o maior centro latino americano até a música, as varias rexpersosoe do samba de roda, as varias expressões oriunda de comunidade quilombolas, como o Tubiacanga da região  do baixo sul, artesanato em piaçava que é espetacular, que é uma produção nativa. Gera emprego , gera renda, valoriza quem  trabalha com as próprias mãos, o cartão de visita de uma região e isso só vem a partir da arte. A feira portanto joga um papel económico e cultural de grande relevância”, disse.

 



Na oportunidade, a parlamentar revelou em primeira mão a construção de uma escola estadual em Aratuípe para a valorização da educação e capacitação no município.