Rogério Andrade fala sobre obras inacabadas no município: “a população pensou que um empresário iria transformar S. A. de Jesus, essa foi a mensagem passada”

 


refeito de Santo Antônio de Jesus, Rogério Andrade (PSD), explanou sobre a política na cidade, e os motivos que o mesmo acredita que influenciaram a sua derrota nas urnas em 2020. Além disto, também comentou sobre as cobranças do vereador Luciano Cuiuba (PSD) das obras que foram deixadas pela sua gestão com dinheiro em conta e que ainda não foram concluídas pela administração atual.

OBRAS INACABADAS:

Thank you for watching

O ex-prefeito iniciou sua fala desmentindo o atual secretário de infraestrutura da cidade, André Araújo, que declarou que as obras não foram concluídas devido a atrasos do repasse dos recursos do Governo Federal. Neste ponto, Rogério corrigiu o secretário e afirmou que a obra deve ser concluída para que o governo libere os recursos, “existe dinheiro assegurado, é só fazer a obra que o Ministério faz o pagamento. Para o Governo Federal pagar é preciso que o empreendimento esteja pronto primeiro porque o Ministério não coloca o dinheiro na conta sem que a obra seja realizada”, declarou.

PANDEMIA:

Na entrevista, Rogério afirmou que a pandemia teve fundamental importância nas eleições, principalmente em relação aos comerciários que tiveram que respeitar os decretos de fechamento e flexibilização devido aos avanços da doença, “a população pensou que o prefeito Genival Deolino (PSDB) iria fazer um governo melhor do que o nosso, que um empresário iria transformar Santo Antônio de Jesus. Essa foi a mensagem que foi passada. Acho também que a pandemia nos atrapalhou muito até porque acompanhávamos as avaliações de 15 em 15 dias, perdemos as eleições no último mês. O comerciante e empresário, alguém colocou na cabeça de uma parte significativa deles que: ‘precisamos de um prefeito que seja um pouco mais flexível que Rogério Andrade, por conta das medidas restritivas’. Aí eles mexem no bolso dos comerciantes indistintamente, passando a mensagem de que pós-eleição iria apertar ainda mais, o que nunca foi meu objetivo. A pandemia é algo novo, ninguém sabia o que fazer na Europa, EUA, tinha medo das pessoas morrerem e atribuíssem a mim a culpa dessas mortes. Vejam que ninguém veio a óbito em nosso governo por falta de leito de UTI. Tive uma preocupação muito grande com a vida das pessoas, minha preocupação foi exagerada, mas era para salvar a vida das pessoas carentes”, contou.

CADÊ O HOSPITAL DE CAMPANHA QUE TANTO ME COBRARAM?

Andrade enumerou suas ações contra a covid-19 e comparou com as ações da nova gestão de Genival Deolino, “lembro muito bem que um dia me cercaram e me falaram para construir um hospital de campanha da covid em Santo Antônio de Jesus. Questionei como iria construir um hospital, comprar os equipamentos, contratar os profissionais, o município não tinha condições de fazer isso. Eles insistiram falando que tinha que fazer um hospital de campanha. Trabalhamos, economizamos e abrimos duas Unidades de Pronto Atendimento (UPA), aí perdi a eleição, o atual governo assumiu e não abriu nenhum leito de UTI, e me cobravam um hospital de campanha. Eu abri duas UPAs na pandemia e não abriram até agora um leito sequer. Os óbitos aumentaram muito depois que eu sair do governo. Cadê o hospital de campanha que me cobraram? Todo mundo faz tudo fora do governo”, ironizou.

Redação: Voz da Bahia