Salinas da Margarida: Após ser comtemplada com a construção de uma base náutica, prefeitura promove capacitação gratuita para os barraqueiros. Veja mais

A Prefeitura de Salinas da Margarida, através da Secretaria de Turismo, com objetivo de estabelecer um padrão de qualidade dos produtos e serviços turísticos no município, bem como fortalecer os empreendimentos beneficiados pelo Programa Nacional de Desenvolvimento do Turismo no Estado da Bahia (Prodetur), realiza até o mês de dezembro, o Programa de Capacitação dos Beneficiários das Obras do Prodetur. Essa ação irá beneficiar os barraqueiros da Orla da Ponte que serão capacitados a prestar um melhor atendimento aos turistas e público em geral, tendo em vista a fase final de implementação da Base Náutica de Salinas com investimento na ordem de mais de R$ 18 milhões de reais do governo do Estado.











O município foi contemplada com a construção de uma base náutica e, mais que isso, requalificação urbana e paisagista em todo seu entorno, numa realização do governo do Estado com investimento na ordem de mais de R$ 18 milhões de reais. Todavia, para que o município fosse contemplado, através do PRODETUR (Programa de Desenvolvimento do Turismo no Nordeste) foi determinante a participação da atual gestão municipal, capitaneada por Wilson Pedreira. O prefeito que não mediu esforços para inferir junto ao governo estadual para que, de fato, o município pudesse receber esse investimento, já que outros municípios também pleiteavam, pelo menos, o píer (embarcadouro).

Salinas, não apenas pela sua vocação náutica e hoteleira, mas, também, em face de um leque de atributos artístico-culturais e culinários, está incluído na rota turística da Bahia. E agora, com toda essa infraestrutura à disposição dos munícipes e visitantes, a geração de emprego e renda será uma das positivas consequências, a partir dessa nova conquista. Esse novo equipamento, prestes a ser inaugurado, com certeza, dará mais celeridade ao processo de embarque e desembarque, uma vez que as embarcações (principalmente as de menor porte), não terão dificuldade com relação às ancoragens, no momento em que os níveis do mar estejam mais baixos.