Haddad afirma que o PDT deu cheque de R$ 90 bilhões para reeleição de Bolsonaro: ‘Não sei se o partido terá conserto, é um estrago’, disse

 


O ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro da Educação, Fernando Haddad, usou as redes no início desta quinta-feira (4) para criticar o PDT. Segundo Haddad, a sigla deu um cheque de R$ 90 bilhões para a reeleição do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). “Em 2018, 3 dos 4 candidatos do PDT a governador que foram para o 2° turno declararam voto no Bolsonaro. Hoje, o partido assinou um cheque de R$ 90bi para viabilizar sua reeleição. Não sei se tem conserto. Estrago monumental!”, escreveu Haddad no Twitter.

Na madrugada desta quinta-feira (4), a Câmara dos Deputados aprovou por 312 votos a 144 a Proposta de Emenda Constitucional 23/2021, chamada de “PEC dos Precatórios”. O PDT foi decisivo e contribuiu com 15 votos a favor do Palácio do Planalto. Apenas seis parlamentares da legenda votaram contra.

O projeto segue agora para o segundo turno de votação, com data estimada para acontecer ainda esta semana, e é uma das apostas do governo para viabilizar o Auxílio Brasil no valor de R$ 400. Aguardada com ansiedade pelos deputados governistas, a sessão contou com a presença de 456 parlamentares, mobilizada pelo presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), ao flexibilizar a participação remota para deputados em missão fora do país e gestantes. A aprovação demandava pelo menos 308 votos a favor para ser aprovada, e angariou 4 a mais do que quórum mínimoAgência Brasil.