Imposição de Jair Bolsonaro ao PL pela candidatura de João Roma incomoda a cúpula do partido: ‘Faltou sensibilidade’

 oto: Clauber Cleber Caetano/PR


O presidente Jair Bolsonaro (PL) tem incomodado as lideranças locais do Partido Liberal na Bahia e em Goiás. Isso porque, o chefe do Executivo não abre mão das candidaturas de Major Vitor Hugo, no governo goiano, e de João Roma ao Palácio de Ondina.

Segundo a colunista do Jornal O GLOBO, Malu Gaspar, o PL baiano gostaria de ter fechado uma aliança com ACM Neto (União Brasil), que está na frente das pesquisas de intenções de voto, no entanto Bolsonaro optou por lançar a pré-candidatura do ministro.

“Mais uma vez faltou sensibilidade política. Apoiar ACM Neto na Bahia certamente puxaria o União Brasil para mais perto de Bolsonaro, mas o presidente ignorou esses conselhos”, disse uma fonte do partido, em referência à tentativa de aproximar o presidente da legenda.

Objetivo do presidente é formar palanques bolsonaristas nos estados. Em goiás, o favorito das pesquisas é Gustavo Mendanha (Patriota), seguido por Ronaldo Caiado (União Brasil), que detém uma ampla rede de alianças. Vitor Hugo aparece em terceiro lugar nas pesquisas.

Ainda segundo Malu Gaspar, o problema, para os caciques, é que a imposição levará o PL a investir uma quantidade substancial de dinheiro do fundo eleitoral em disputas perdidas, além de afastar potenciais aliados. Bahia.Ba